Saúde

Espanha confirma as duas primeiras mortes por hepatite aguda infantil

Os óbitos registaram-se nas 24 horas que se seguiram a transplantes de fígados urgentes motivados pela doença.
Espanha já confirmou 46 casos.

Um menino de seis anos de Múrcia e um bebé de 15 meses da Andaluzia, que rejeitaram um fígado transplantado, são as duas primeiras mortes confirmadas em Espanha por hepatite aguda infantil, avança o “El País”, citado pelo “Jornal de Notícias”. O anúncio foi feito pelo ministério da saúde espanhol esta quinta-feira, 4 de agosto.

O rapaz terá começado a apresentar sintomas a 2 de julho e no dia 18 foi transferido para um hospital de Madrid em estado grave, com edema cerebral. O transplante de fígado realizou-se a 29 e a criança morreu 24 horas mais tarde.

Já o bebé foi admitido no final de junho com gastroenterite aguda, com a presença de adenovírus. Estava em estado crítico por encefalopatia e coagulopatia grave. Também morreu nas 24 horas que se seguiram a um transplante de fígado urgente.

As mortes só foram notificadas agora, “após uma pesquisa ativa e retrospetiva de casos” entre o ministério da saúde e as comunidades autónomas.

Até ao momento, na sequência dos 46 casos de hepatite aguda infantil de origem desconhecida detetados em Espanha, foram realizados três transplantes. A situação clínica do terceiro caso, uma rapariga de três anos que vive em Aragão, está a evoluir favoravelmente.

A Organização Mundial da Saúde adiantou que a hepatite aguda já vitimou 22 crianças. Até ao final de julho, na Europa, foram reportados 507 casos. Saiba como prevenir que o seu filho fique infetado com a nova hepatite aguda.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT