Saúde

Especialista de Harvard garante que o óleo de coco é perigoso para a saúde

Segundo a epidemiologista Karin Michels, o óleo mais famoso do mundo fit tem cerca de 80% de gorduras saturadas.

Se calhar é melhor evitá-lo.

Apontam-lhe um número sem fim de benefícios: previne doenças cardiovasculares, ajuda a perder peso, reduz o LDL (colesterol mau) e tem uma ação antioxidante. Mas será que o óleo de coco é assim tão saudável? Uma especialista da Universidade de Harvard garante que não. 

A epidemiologista Karin Michels, da escola de saúde dessa universidade americana, defendeu, durante uma palestra na Universidade de Freiburg, na Alemanha, que o óleo mais famoso de sempre do mundo fit afinal pode ser um verdadeiro problema para a saúde.

Segundo Michels, o óleo de coco tem 80% de gorduras saturadas na sua composição, as piores que podemos ingerir. O vídeo da apresentação, todo em alemão, já tem mais de um milhão de visualizações no YouTube.

Segundo escreve o jornal britânico “The Guardian”, não é a primeira vez que os especialistas sugerem que o óleo de coco não é uma escolha saudável. 

“O óleo de coco tem cerca de 86% de gorduras saturadas, cerca de um terço a mais do que a manteiga”, afirma Victoria Taylor, dietista na British Heart Foundation. “O aumento dos níveis de colesterol está associado a dietas com elevado consumo de gorduras saturadas e isso pode causar doenças cardíacas. Sabemos que se reduzirmos estas gorduras e as substituirmos por não saturadas, como o azeite, óleo vegetal ou de girassol os níveis de colesterol reduzem.”

No entanto, e apesar de a especialista apelar ao consumo de outras gorduras, isso não quer dizer que não possa consumir óleo de coco e mantê-lo na sua dieta. Deve apenas controlar a quantidade que ingere, tal como em qualquer dieta.

“Se as pessoas gostarem do sabor do óleo de coco, podem consumi-lo, tal como à manteiga, de vez em quando”, explica Taylor. “O consumo deve ser muito controlado e deve apostar em gorduras não saturadas para o dia a dia.”

A NiT já tinha escrito dois artigos acerca das vantagens e desvantagens do consumo de óleo de coco onde explicava que talvez esta não fosse a melhor opção para a saúde. A nutricionista Sónia Sousa explica, tal como defendem Taylor e Michels, que o óleo de coco é rico em gorduras saturadas. Já Andreia Lima, do Holmes Place, defende que esta gordura pode ser consumida em quantidades reduzidas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT