Saúde

Estudo alerta: bebés ingerem milhões de microplásticos por dia nos biberões

O problema está na preparação com leite artificial, bem como na esterilização.
Os cientistas deixam recomendações.

Todos os pais têm imensos cuidados na esterilização dos biberões dos bebés. Ainda assim, alertam os investigadores, este processo pode ter efeito nocivos se os recipientes forem feitos de plástico.

É o que diz um novo estudo avançado esta segunda-feira,19 de outubro, pelo “The Guardian” e publicado no jornal científico ”Nature Food”. Os responsáveis pela pesquisa explicam que preparação de biberões com leite artificial (como leite em pó) e a sua esterilização podem libertar 16,2 milhões de microplásticos por litro.

O professor irlandês John Boland, do Trinity College, em Dublin, que participou neste estudo, mostrou-se surpreendido. “Ficámos completamente embasbacados” ao descobrir o número de microplásticos produzidos pelos biberões dos bebés”, disse, citado por aquela publicação.

“Um estudo da Organização Mundial de Saúde, no ano passado, estimava que os adultos consumissem entre 300 a 600 microplásticos por dia”, continua.

Para esta investigação, foram analisados cenários de exposição de bebés de até um ano aos microplásticos em 48 países, inclusive Portugal. Concluíram que biberões de polipropileno (um dos plásticos de uso comum) podem libertar os tais 16,2 milhões de microplásticos por litro.

“Estas descobertas representam um marco importante. O grau de exposição ao microplástico que apresentam pode ser alarmante, mas na vida real os efeitos que colocam a nível de saúde infantil obrigam a que haja mais investigação neste campo”, alerta Philipp Schwabl, da Universidade Médica de Viena, na Áustria, citado pelo “The Guardian”.

A recomendação dos cientistas deste estudo para minimizar a exposição dos bebés e crianças aos microplásticos é que a água usada para esterilizar os biberões seja fervida em recipientes que não sejam de plástico, como aço inoxidável.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT