Saúde

Pelo menos 1,5 milhões de portugueses em risco de doença severa por causa da Covid-19

Segundo um estudo, o número pode ser muito superior, já que apenas contabilizaram doentes crónicos com mais de 65 anos.
O alerta está feito.

Um estudo nacional publicado recentemente diz que, pelo menos um milhão e meio de portugueses, entre os idosos, têm um elevado risco de doença severa se forem contagiados com a Covid-19. No entanto, o número pode ser muito superior.

A pesquisa de Pedro Laires e Carla Nunes, ambos da Escola Nacional de Saúde Pública — Carla Nunes foi também uma das epidemiologistas nas reuniões do governo — segue uma metodologia que os próprios autores consideram “restritiva”.

Os autores apenas tiveram em conta a população com mais de 65 anos que revelou no último Inquérito Nacional de Saúde, realizado em 2014, ter uma de cinco doenças crónicas consideradas de risco para a infeção pelo novo coronavírus. São elas hipertensão, diabetes, doença pulmonar obstrutiva crónica, doença cardiovascular e cerebrovascular.

Os resultados, aos quais a “TSF” teve acesso, avançam que cerca de 15 por cento — ou seja 1,560 milhões de pessoas — possam estar em elevado risco de complicações por Covid-19 devido à idade e a condições crónicas já existentes. Sabe-se que 932 mil são mulheres e 628 mil são homens.

“Há um número considerável de portugueses que se encontra em elevado risco de doença severa em caso de infeção Covid-19”, garantem os especialistas, acrescentando que estas conclusões devem ser um alerta para as autoridades de saúde protegerem os mais vulneráveis durante a pandemia.

Numa análise menos restritiva, explicam, os 1,5 milhões podem facilmente passar para 3,7 milhões — neste caso, é contabilizada toda a população idosa com mais de 65 anos e não apenas os que possuem uma das cinco doenças crónicas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT