Saúde

Governo confirma que Portugal vai entrar num novo confinamento

A notícia foi avançada pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, este sábado.
O reflexo do aumento de infeções no nosso País.

Aquilo que se temia vai acontecer: depois de terminadas todas as audições, a ministra da Presidência confirmou que Portugal vai avançar para um novo confinamento. Segundo Mariana Vieira da Silva, será semelhante ao que aconteceu em março e abril. 

“Aquilo que posso dizer é que faremos um confinamento próximo daquele que existiu durante os meses de março e abril, garantindo, em princípio, que não fecharemos nada que não tivesse sido fechado. A agricultura, a indústria continuará a funcionar para garantir também que nada do que são os bens essenciais dos portugueses faltarão”, disse Mariana Vieira da Silva.

A ministra referiu ainda que qualquer decisão que seja tomada terá “o maior consenso possível”. “Ouviremos novamente os especialistas […] para confirmar que os dados que temos nos últimos quatro dias – números na ordem dos 10 mil casos por dia — confirmam esta tendência e quais as melhores medidas, as medidas mais adequadas a tomar agora”, continuou.

O governo deixou a certeza de que as empresas podem contar com apoios para os trabalhadores, como é o caso do lay-off simplificado.

Sem adiantar pormenores sobre as medidas, Mariana Vieira da Silva disse que o Conselho de Ministros vai reunir-se imediatamente após a aprovação por parte da Assembleia da República, comunicando as medidas de forma a que elas se possam aplicar o mais cedo possível.

Enquanto isso não acontece, a governante apela à população para se resguardar e não ficar “à espera que saia o novo decreto”. “É nossa obrigação protegermo-nos, reduzirmos ao máximo os nossos contactos ao essencial, e sabermos que, num momento em que há mais pessoas infetadas, também cresce o risco de cada um de nós nos infetarmos”, referiu.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT