Saúde

Governo reconhece: a app StayAway Covid foi um fracasso

O ministro Manuel Heitor referiu que apps semelhantes funcionaram noutros países.
Chegou a ter mais de um milhão de downloads.

Era para ter sido uma das ferramentas mais úteis na luta contra a pandemia, em particular numa altura em que ainda não estava no horizonte a vacinação. Mas a aplicação StayAway Covid acabou por ficar muito aquém das expectativas.

Em declarações à imprensa esta quarta-feira, 12 de maio, Manuel Heitor, ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, reconheceu isso mesmo. O governante tinha sido dos primeiros governantes a ver o protótipo da app mas admite agora que os planos de contact tracing em Portugal não funcionaram, realça o “Eco”.

Para o ministro, há mesmo que “tirar ilações sobre como sistemas como a StayAway Covid não funcionaram em Portugal, mas funcionaram em países” como a Suíça e a Alemanha.

Recorde-se que o próprio governo destacou desde cedo a importância que a aplicação desenvolvida pelo INESC TEC teria. O próprio primeiro-ministro, António Costa, insistiu por diversas vezes na importância de ser descarregada e usada.

Nos primeiros dias, a StayAway Covid chegou mesmo a ser descarregada por mais de 120 mil pessoas. Cerca de um mês depois já tinham sido feitos mais de um milhão de downloads. Mas acabou por perder força com o tempo.

A ideia era, em caso de contacto próximo com um infetado, a app enviaria um alerta que permitira a pessoa poder isolar-se o quanto antes, evitando mais contágios e respondendo mais cedo a possíveis sintomas. No entanto, no início do ano, quando mais de meio milhão de casos tinham sido confirmados em Portugal, a app só tinha conseguido gerar pouco mais de 12 mil códigos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT