Saúde

Há 1435 profissionais de saúde infetados com o novo coronavírus em Portugal

O secretário de estado da Saúde, António Lacerda Sales, avança que destes, 370 são enfermeiros e 240 médicos.
Mais de 1.800 óbitos em Portugal.

A conferência de imprensa desta terça-feira, 7 de abril, começou com o secretário de estado da Saúde a lamentar o número de mortes provocadas pela Covid-19 em Portugal, que já chegou às 345. “Não são apenas números, são pessoas que sempre fazem falta a alguém”, reforçou.

António Lacerda Sales fez também uma referência especial à morte da sub-diretora-geral da saúde, Catarina Sena. “Numa altura de perdas, a Direção-Geral de Saúde vê uma particularmente difícil. É uma perda que todos lamentamos e por isso deixo aqui as condolências à família”, disse.

Uma vez que esta terça-feira se assinala o Dia Mundial da Saúde, o secretário relembra que a Organização Mundial da Saúde nascia há 72 anos. “Hoje, é um marco na luta das nossas vidas, com o mundo a braços com a mais grave pandemia dos últimos 100 anos. Por isso, não podemos deixar de prestar homenagem a todos os profissionais de saúde.”

Aproveitou para referir que, neste momento, foram feitos mais de 1400 contratos com profissionais de saúde todas as áreas para entrarem no combate a este vírus.

Sobre a Linha SNS 24, António Lacerda Sales reforçou que está a melhorar a sua capacidade, sendo que tempo médio de espera de atendimento está agora abaixo dos três minutos. Além disso, 262 pessoas, incluindo profissionais de saúde, receberam apoio psicológico através desta linha.

Também Diogo Cruz, subdiretor-geral da Saúde fez parte desta conferência, tendo destacado que, embora os números do impacto da pandemia estejam mais baixos e estarem, claro, contentes com isso, é preciso prudência.

“Estamos numa fase ainda importante na luta contra a pandemia não sabemos o que vai ser o dia de amanhã. Vai aproximar-se a Páscoa mas pedimos a todos que mantenham as medidas de contenção. Sabemos que é difícil mas não abrandem nos esforços feitos até agora”, pediu, garantindo que só assim vamos sair “mais cedo” deste cenário.

Os problemas em Aveiro, os profissionais de saúde infetados e a testagem nos lares ilegais

Questionado sobre as queixas de faltas de testes em Aveiro, o secretário de estado da Saúde disse que essa tem sido uma região, salientando o Hospital de Aveiro, com uma afluência superior ao expectável. Avançou, também, que esta terça-feira, 7 de abril, vão ser distribuídos dez mil testes para a zona centro, dos quais dois mil serão para Aveiro.

Ainda sobre Aveiro, António Lacerda Sales falou concretamente da situação do lar da Santa Casa da Misericórdia, onde foram registadas 15 mortes entre 120 utentes, estando outros 78 confirmados com a infeção. Dos 151 profissionais que lá trabalham, 19 deram positivo para o novo coronavírus. Referiu, ainda, que esta terça-feira vão ser testados dois lares, num total de cerca de 80 testes.

O secretário aproveitou o momento para atualizar o número de profissionais de saúde infetados, que está agora nos 1435. Sabe-se que 370 são enfermeiros e 240 médicos — os restantes são assistentes técnicos e operacionais, entre outras funções.

Quanto aos idosos que estão em lares ilegais, garante que também são alvo de testes:  “As pessoas que estão nos lares ilegais são para nós iguais às que estão nos lares legais e claro que serão testadas”, disse, salientando que a diferenciação”desses estabelecimentos ilegais será feita pela Segurança Social.

A conferencia prosseguiu com uma questão sobre as possíveis discrepâncias nos dados relacionados com o Registo Nacional de Utentes. O subdiretor-geral da Saúde, Diogo Cruz, admitiu que tem a ver com o local onde a pessoa mora ou o hospital onde foi feito o teste. “Isso está relacionado com o Registo Nacional de Utentes. Mas nós depois conseguimos juntar esses dados”, explicou.

Ainda sobre os lares, aproveitou para dizer que vão ser anunciadas novas normas para os testes nestes locais. Sem avançar muitos detalhes, disse que serão idealmente feitos a utentes e também a pessoas próximas destes.

Quando confrontados com uma notícia que avança que o Hospital de Aveiro está sem vagas nas unidades de cuidados intensivos, o secretário de estado de Saúde reforçou o aumento de meios nacional. “Temos uma capacidade expansível que é gerível pela própria administração e clínicos do hospital de de Aveiro e com certeza essa situação será atendida dentro de muito pouco espaço de tempo pela taskforce que temos para gerir essa situação”, justificou.

O número de casos confirmados de Covid-19 em Portugal

Nas últimas 24 horas, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, houve mais 712 pessoas infetadas em Portugal, subindo o número total para 12.442 Portanto, um aumento de 6,1 por cento face ao dia anterior.

Sabe-se que há 25.070 pessoas sob vigilância e 4442 a aguardar os resultados das análises laboratoriais. O relatório refere, também, 1180 internados, dos quais 271 em cuidados intensivos. Existem, ainda, 82.846 casos não confirmados. 

A região norte continua a ser a mais afetada pelo novo coronavírus (7045), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (3185). O centro do País regista agora 1766 casos; o Alentejo soma 65; e o Algarve tem 234. Quanto aos arquipélagos, sabe-se que os Açores têm 68 infetados, enquanto que na Madeira há 52 casos.

Mas há boas notícias: registam-se mais 44 casos recuperados face ao dia anterior, num total de 184 — um aumento de 31,4 por cento.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT