Saúde

“Impacto da pandemia é consideravelmente menor em Portugal”, diz estudo internacional

Não é que os portugueses tenham sentido menos o impacto da pandemia. Mas a perceção é menor quando comparada com outros países.
Saúde é a principal preocupação dos portugueses.

O último ano e meio foi diferente de tudo aquilo que havíamos conhecido no nosso tempo de vida. A culpa é da suspeita do costume: a pandemia. Ainda assim, os portugueses não estão entre os povos que se sentiram mais afetados pela pandemia.

É pelo menos essa a perceção que resulta do relatório “Healthy & Sustainable Living”, um documento com periodicidade anual, divulgado esta terça-feira. 19 de outubro, e que desta vez envolveu cerca de 30 países, incluindo Portugal.

Em todos os países foram entrevistadas mil pessoas, de diferentes geografias, idades e condições económicas, sobre uma série de temas. A pandemia de Covid-19 era um tema inevitável.

Cerca de 38 por cento das pessoas afirmam que se sentem muito afetadas pela pandemia, isto quando a média global é de 51 por cento, como destaca o “Diário de Notícias”. Cerca de 40 por cento dos portugueses dizem-se ainda moderadamente atingidos pelos efeitos da Covid-19 nas suas vidas.

“O impacto da pandemia é consideravelmente menor em Portugal”, realça mesmo o estudo. Curiosamente, esta tendência verifica-se noutras questões que têm estado na agenda mundial.

A discriminação contra minorias étnicas, raciais ou religiosas é um problema pouco sentido em Portugal, segundo o mesmo estudo. Tal como a dificuldade de acesso aos cuidados de saúde.

Comparativamente aos tempos pré-pandemia, as principais preocupações dos portugueses inquiridos dizem respeito a questões de saúde (57 por cento) e à redução do impacto ambiental (51 por cento). Os portugueses parecem também estar mais predispostos a passarem mais tempo em contacto com a natureza (algo destacado por 50 por cento dos inquiridos) e em poupar dinheiro (tema referido por metade dos inquiridos).

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT