Saúde

Infarmed volta a retirar do mercado máscaras cirúrgicas de um fabricante nacional

Esta terça-feira, as autoridades de saúde anunciaram a recolha de mais um lote deste material de proteção.
Mais um fabricante nacional em causa.

Na passada segunda-feira, 11 de abril, o Infarmed retirou do mercado nacionais lotes de máscaras cirúrgicas de dois fabricantes portugueses. Esta terça-feira, 19 de abril, as autoridades de saúde anunciaram a recolha de umas materiais de proteção, desta vez de outra empresa que as produz em Portugal.

Em causa estão as máscaras da Bright5 Unipessoal. No site da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde é referido que foram retiradas de circulação as máscaras tipo IIR com referência Surmask_T2R. Estavam certificadas indevidamente e não existia “evidência de cumprimento de todos os requisitos legais aplicáveis a nível europeu incluindo documentação técnica incompleta face ao estabelecido nos anexos II e III do Regulamento (UE) 2017/745.”

“Apesar de o fabricante declarar não ter procedido à efetiva disponibilização no mercado de nenhuma unidade deste dispositivo ostentando marcação CE, o Infarmed determinou a imediata suspensão da comercialização no mercado dos referidos dispositivos”, continuam as autoridades.

Na passada semana tinham sido referenciadas as máscaras da Borgstena Textile Portugal e também da Plasfer — Indústria e Comércio pelo mesmos motivos encontrados na falta de certificação das da Bright5 Unipessoal.

Até ao final desta semana, a DGS deverá avançar com novas regras sobre o uso de máscaras em Portugal.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT