Saúde

Infeções por Covid-19 voltaram a subir esta semana e a “tendência é crescente”

Morreram 142 pessoas e foram registados 76.183 novos casos. A maioria dos contágios verificou-se na região norte.
Número de casos continua a crescer.

O boletim epidemiológico da Covid-19 publicado pela Direção-Geral de Saúde (DGS) esta sexta-feira, 13 de maio, revelou que, na semana de 3 a 9 de maio, foram registados 99 866 (+23 746) novos casos de infeção e 142 (+15) mortes, valores superiores aos identificados nos sete dias anteriores.

Com a atualização dos dados, a taxa de mortalidade passou para os 14 óbitos por milhão de habitantes, verificando-se um aumento de doze por cento em relação ao registado 26 de abril a 2 de maio. Já a incidência subiu em 31 por cento, com os valores a passarem dos 740 para os 970 casos por 100 mil habitantes numa média a sete dias. O índice de transmissibilidade (Rt) voltou a subir, desta vez de 1,03 para 1,13.

O mesmo documento indica que “a análise dos diferentes indicadores, a epidemia de Covid-19 mantém uma incidência muito elevada, com tendência crescente”. Os investigadores apontam que a redução da adesão a medidas não farmacológicas, o período de festividades e o considerável aumento de circulação de variantes com maior potencial de transmissão podem ser os motivos que possam justificar este aumento da incidência.  

O impacto nos internamentos e na mortalidade geral é reduzido, embora o aumento da incidência possa vir a condicionar um aumento da procura de cuidados de saúde e da mortalidade, em especial nos grupos mais vulneráveis.

A entidade de saúde alerta para que seja mantida a vigilância da situação epidemiológica da Covid-19 e “recomenda-se o reforço das medidas de proteção individual nos grupos de maior risco e a vacinação de reforço”.

Na passada quinta-feira, 12 de maio, foi também anunciado que as pessoas com mais de 80 anos e os residentes em Estruturas Residenciais para Idosos (ERPI) vão ter direito a receber já a partir de segunda-feira, dia 16, uma segunda dose de reforço da vacina contra a o vírus.

O processo vai decorrer nos centros de vacinação e nos centros de saúde da área residencial dos elegíveis para mais esta inoculação. Além disso, os jovens entre os 12 e os 15 anos que tenham condições de imunossupressão, também estão incluídos na lista para receberem uma segunda dose de reforço da vacina.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT