Saúde

Jovem portuguesa de 19 anos que morreu com Covid não estava vacinada por indicação médica

A bracarense faleceu com o vírus, na sequência de uma paragem cardiorrespiratória. Tinha recebido alta hospitalar três dias antes.
A jovem sofreu uma paragem cardiorrespiratória.

A jovem de 19 anos que morreu na madrugada desta terça-feira, 14 de dezembro, infetada com o SARS-CoV-2 tinha várias doenças neurológicas graves e não estava vacinada contra a Covid-19, informou ao “Observador” a Direção-Geral da Saúde. A jovem vivia em Braga, na região norte, onde foram registados outros quatro óbitos nesse mesmo dia.

O Hospital de Braga abriu um processo de inquérito para “apuramento de todos os factos” relacionados com a morte desta portuguesa de 19 anos com Covid-19, poucos dias após ter recebido alta hospitalar. A jovem foi para o hospital com febres altas, mas acabou por ser mandada para casa, com indicação de que tomasse paracetamol. A família está a ponderar processar o hospital.

A “CNN Portugal” apurou que a vítima sofria de Síndrome de Dravet, uma doença rara que obrigava à toma de vários medicamentos, além de outras patologias. Por desconhecerem se seria seguro, a jovem não estava vacinada contra a Covid-19 por indicação dos médicos.

Relatos de familiares e vizinhos contam que a jovem piorou na madrugada de terça-feira, por volta das 4h30, e acabou por entrar em paragem cardiorrespiratória. A família tentou chamar uma ambulância, mas nem os Bombeiros Voluntários de Braga nem a Cruz Vermelha tinham viaturas disponíveis para uma doente com Covid-19.  A ajuda só chegou perto do meio-dia, altura em que foi transportada para o hospital, depois de lhe terem prestado assistência. Os profissionais de saúde não conseguiram recuperar a pulsação da jovem, que acabou por entrar em coma e falecer

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT