Saúde

Lisboa já estará acima dos 240 casos por 100 mil habitantes

Quem o diz é Carlos Antunes, especialista da Faculdade de Ciências. A região tem assistido a um aumento no número de internamentos.
Os internamentos têm aumentado na região.

Há vários dias e semanas que o concelho de Lisboa se aproxima dos 240 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes, a linha vermelha definida na matriz de risco. Segundo o matemático Carlos Antunes, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, a capital portuguesa já superou mesmo esse valor e está a caminho dos 280.

“Dia 12, sábado, verificavam-se 254 e a tendência é crescente, a própria transmissibilidade está acima de 1, portanto prevê-se que nos próximos dias possa chegar aos 280 casos por 100 mil habitantes. Ainda não há sinal de abrandamento ou de chegarmos a um teto proximamente, tal como tínhamos previsto na semana passada”, disse o especialista à “Rádio Renascença”.

Se Lisboa estiver durante duas semanas seguidas com mais de 240 casos por 100 mil habitantes, vai ter de recuar no desconfinamento — e voltar a medidas mais restritivas. Os horários serão reduzidos, o número de pessoas nos estabelecimentos também, os casamentos, batizados e outros eventos terão de reduzir a lotação. A subida não acontece só em Lisboa — é uma tendência que também se verifica nos concelhos da periferia da cidade.

Carlos Antunes alertou ainda para a subida do número de internamentos na região de Lisboa e Vale do Tejo. “É a única região na qual se observa um aumento significativo nas últimas duas semanas, quer de internamentos em enfermarias, quer de internamentos em Cuidados Intensivos. E é em todas as faixas, todas estão a verificar esse aumento, mas sobretudo acima dos 30 anos.”

“Na região de Lisboa e Vale do Tejo, em consequência de um aumento abrupto da incidência, houve relativamente ao mínimo de internamentos um aumento de 191 por cento nas camas de enfermaria e um aumento de 277 por cento nas camas de cuidados intensivos. E isso faz com que Lisboa, como região, corresponda já a 66 por cento do total de camas em enfermaria com Covid, portanto dois terços, e 60 por cento das camas em cuidados intensivos Covid em todo o País. Portanto uma única região é responsável atualmente por dois terços dos internamentos”, acrescentou o matemático.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT