Saúde

Lisboa vai fazer rastreios de diabetes aos mais vulneráveis

Nesta ação, que vai decorrer até dezembro, os casos graves serão encaminhados para as autoridades de saúde.
Rastreio chegará aos mais necessitados

Durante os meses de novembro e dezembro vai ser feito um rastreio de diabetes na população mais socialmente vulnerável de Lisboa. O projeto chama-se Lisboa a Mudar a Diabetes e envolve várias entidades. Esta ação tem particular importância nesta altura de pandemia, uma vez que um dos fatores de risco associados à Covid-19 é sofrer desta doença.

O projeto arranca no mês em que se assinala o Dia Mundial da Diabetes, mais especificamente a 14 de novembro, e consiste numa avaliação do risco de diabetes tipo dois na população mais carenciada da cidade. A ação vai decorrer nos polos de distribuição alimentar a famílias identificadas pelas juntas de freguesia e das entidades parceiras do Programa de Apoio Alimentar da Câmara Municipal de Lisboa.

Todos os casos de elevado risco serão testados no local através de uma amostra de sangue. Os casos mais urgentes serão referenciados para consulta no centro de saúde da sua área ou encaminhados para uma primeira consulta de urgência na Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal.

Este processo decorre até 20 de dezembro. Integrado no programa Cities Changing Diabetes Lisboa, o projeto Lisboa a Mudar a Diabetes resulta de uma parceria entre a Câmara Municipal de Lisboa, a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, a Nova Medical School, a Santa Casa de Misericórdia de Lisboa e a Novo Nordisk Portugal.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT