Saúde

Metade dos doentes hospitalizados com Covid-19 fica com problemas de saúde

É a conclusão de um estudo que incluiu mais de 70 mil adultos. As marcas mais comuns são problemas renais e respiratórios.
Já podem marcar.

Segundo um estudo publicado esta quinta-feira, 15 de julho, na “The Lancet”, metade dos sobreviventes da Covid-19 fica com marcas, diz o “Público” — ou seja, um em cada dois dos doentes hospitalizados desenvolveu pelo menos um problema de saúde à posteriori. Foram analisados os dados de mais de 70 mil pessoas que estiveram internadas no Reino Unido.

Os problemas mais comuns são renais e respiratórios, embora também haja danos cardiovasculares, neurológicos, gastrointestinais e hepáticos. Os investigadores alertam que, além da mortalidade da Covid-19, é urgente que a comunidade médica e científica se centre mais nas sequelas — até porque muitos dos sobreviventes que ficam afetados são jovens ou fazem parte da população ativa. Como muitas das pessoas mais velhas hospitalizadas acabam por não sobreviver, entre aqueles que sobrevivem (ainda que fiquem com sequelas) há muitos pacientes jovens.

Como seria de esperar, aqueles que estiveram internados em unidades de cuidados intensivos foram aqueles que mais desenvolveram problemas. Os autores do estudo esclareceram ainda que não foram tidos em conta sintomas comuns em sobreviventes da Covid-19 (mesmo que não tenham estado hospitalizados), como fadiga e mal-estar — o objetivo foi mesmo centrarem-se nas sequelas mais graves e sérias.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT