Saúde

Ministra da Saúde: “Não podemos suportar um novo lockdown”

Marta Temido acredita que Portugal tem pela frente um contexto complexo no que diz respeito à pandemia.
Portugal tem mais de 60 mil casos confirmados da doença.

“É certo que é muito aquilo que temos para fazer. O mais difícil vem ainda aí”, garantiu a ministra da Saúde, Marta Temido, esta esta segunda-feira, 7 de setembro, na rentrée do PS, em Coimbra.

Segundo a governante, “estamos no momento de nos focarmos naquilo que é o trabalho que precisamos de completar neste mês que se inicia de setembro, nestes primeiros 15 dias, três semanas para estarmos perfeitamente preparados para uma fase de outono/inverno que se antecipa com novas dificuldades”.

Acredita que Portugal tem pela frente um contexto complexo, já que vem aí o regresso às aulas presenciais, a gripe sazonal, o habitual acréscimo de mortalidade nos meses de inverno, sobretudo nos mais idosos, a necessidade de garantir outras respostas em saúde para além das respostas à doença Covid, a dificuldade económica que teríamos, que teremos insustentável “em suportar um novo ‘lockdown’”.

Por isso, “vale a pena manter a prevenção a um nível elevado, garantir o foco na preparação das respostas e envolver toda a sociedade e não nos podemos distrair com outros temas, com outras controvérsias, com quem nos quer fazer perder tempo”.

Durante a reunião de peritos sobre a luta contra a pandemia transmitida em direto para o País, Marta Temido afirmou que durante os primeiros meses da pandemia, “o Serviço Nacional de Saúde (SNS) respondeu às necessidades assistenciais de todos os residentes em Portugal”.

De acordo com a ministra, Portugal está atualmente “melhor preparado” para enfrentar a próxima fase da pandemia, uma vez que tem “mais recursos, mais organização, mais experiência e mais conhecimento”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT