Saúde

MO angariou mais de 22 mil euros para apoiar IPO do Porto, Coimbra e Lisboa e Coimbra

O valor foi angariado com a venda de T-shirts em outubro, o mês internacional da prevenção do cancro da mama.
Por cada t-shirt vendida foram doados 3€.

A iniciativa “Há causas que nos vestem bem”, já na sua terceira edição, promove a venda de T-shirts nas lojas físicas e online da MO. Todos os anos, o objetivo é alertar para a necessidade de prevenção e importância do rastreio e diagnóstico precoce do cancro da mama, contribuindo também com uma doação monetária direta a favor das delegações do Porto, Coimbra e Lisboa do Instituto Português de Oncologia (IPO).

Durante o mês de outubro por cada T-shirt vendida, 3€ reverteram para a instituição. Ao todo, foram angariados 22.479€. “Este donativo monetário da MO pretende contribuir para continuar a proporcionar aos doentes do IPO as melhores condições de prestação de cuidados de saúde e ajudar a investir no futuro do tratamento contra o cancro”, afirma a marca.

Pela primeira vez desde o início desta iniciativa, em 2019, foram desenhadas camisolas a pensar em toda a família: mulher, homem e criança, reforçando a mensagem de que o apoio familiar é fundamental no contexto desta doença. No âmbito das três edições do projeto “Há causas que nos vestem bem”, iniciado em 2019, a MO já angariou um valor total de mais de 65 mil euros a favor das três delegações do Instituto Português de Oncologia.

Diana Teixeira Pinto, diretora de marketing e e-commerce da MO, afirma: “Trata-se de um projeto já emblemático para a MO, e no qual toda a nossa equipa se empenha de uma forma incansável. Este ano, e procurando envolver os familiares mais próximos numa missão que os coloca à prova, decidimos apresentar uma proposta de valor que abrangesse toda a família.”

O cancro da mama é o segundo tipo de tumor mais frequente no mundo e o tumor maligno mais frequente entre as mulheres. Em Portugal, com uma população feminina de 5 milhões, foram diagnosticados, em 2020, cerca de sete mil novos casos de cancro da mama e 1.800 mulheres morreram vítimas desta doença. Apesar de ser o tipo de cancro mais incidente na mulher, com maior número de casos, cerca de um em cada 100 cancros da mama são detetados em homens.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT