Saúde

Morreu Fernando de Pádua, cardiologista pioneiro na medicina preventiva em Portugal

O profissional sempre defendeu uma visão preventiva para evitar a doença, através da divulgação de hábitos de vida saudáveis.
Fotografia: Fundação Prof. Fernando de Pádua.

Fernando de Pádua, conhecido pelas lutas que empreendeu contra o tabagismo e o abuso do sal, morreu esta quinta-feira, 8 de dezembro, aos 95 anos de idade.

“É com enorme tristeza e consternação, que comunicamos a ‘partida’ do nosso muito querido professor! Deixou-nos hoje ao amanhecer. As palavras são poucas para agradecer o tanto que fez pelos Corações de todos nós! Lutou incansavelmente até ao fim dos seus dias para a melhor saúde e melhor qualidade de vida de cada um”, lê-se na nota da Fundação Professor Fernando de Pádua, aqui citada pelo “Jornal de Notícias”.

O profissional, conhecido como “professor do coração” ou “médico do lacinho”, pelo acessório que sempre usava, defendeu, incansavelmente, uma visão preventiva para evitar a doença, através da divulgação de hábitos de vida saudáveis e bem-estar.

Ao longo da carreira, o professor catedrático jubilado e presidente do Instituto Nacional de Cardiologia Preventiva foi fundador da Fundação Portuguesa de Cardiologia e cofundador da Sociedade Internacional de Eletrocardiografia. A Medalha de Ouro por Serviços Distintos, que recebeu em 1997 pelas mãos de Maria de Belém Roseira, então ministra da Saúde, e o Grande Colar de “Oficial da Ordem de Santiago da Espada”, atribuído em 2005 por Jorge Sampaio, Presidente da República na altura, são algumas das distinções conquistadas por Pádua.

Em 2007, o especialista foi agraciado com o Prémio Nacional de Saúde, como reconhecimento do seu “pioneirismo” e “dedicação do trabalho de promoção e prevenção”.

Manuel Pizarro, ministro da Saúde, já reagiu à perda. “Foi com profunda consternação que recebi a notícia do falecimento do professor Fernando de Pádua”, começa por dizer Pizarro, citado pelo “Notícias ao Minuto”. Este destacou ainda o papel “absolutamente pioneiro” do cardiologista na prática e divulgação da prevenção, assim como na educação para a saúde, “sempre em prol do bem-estar e da saúde dos portugueses”.

“Conciliou sempre as suas qualidades humanas, próximo, alegre e disponível, com a excelência profissional, ao dedicar uma parte substancial da sua vida à promoção de hábitos de vida saudáveis”, acrescentou, antes de concluir que o legado do profissional se perpetuará “no enorme lastro” do trabalho que deixa e na missa da fundação homónima.

É com enorme tristeza e consternação, que comunicamos a "partida" do nosso muito Querido Professor! Deixou-nos hoje ao…

Posted by Fundação Prof. Fernando de Pádua on Thursday, December 8, 2022

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT