Saúde

Mortalidade em Portugal aumentou 26% nas duas primeiras semanas de junho

Entre as principais causas que justificam os óbitos estão a Covid-19 e as vagas de calor. Os valores estão muito acima da média.
A percentagem tem aumentado todos os meses.

Nas duas primeiras semanas do mês de junho, Portugal registou um número de óbitos superior à média. De acordo com a Direção-Geral de Saúde (DGS), calcula-se um aumento na ordem dos 26 por cento, o que representa números bastante superiores aos registados entre 2009 e 2019. Entre os dias 1 e 14 de junho, já foram contadas 4973 mortes, comparativamente com a média de 3652 num período de dez anos.

As causas na base deste crescimento da mortalidade ainda precisam de ser estudadas de aprofundada, porém, os especialistas apontam a Covid-19 e as vagas de calor das últimas semanas. Segundo os peritos, metade das mortes registadas foram consequência de infeções por SARS-Cov-2, com uma média de 42 óbitos diários com o vírus. Outra parte significativa dos óbitos estão relacionados com as elevadas temperaturas registadas, muito acima das habituais.

A demógrafa Maria João Valente Rosa, citada pelo jornal Público, corrobora as causas. No entanto, defende a necessidade de investigar de forma mais aprofundada esta tendência crescente, que também já se registou nos meses anteriores.

“As questões climatéricas e outros fatores podem ajudar a explicar minimamente por que razão é que março foi um mês tão mau [em relação aos números da mortalidade]”, explica à publicação. “O que acontece, e para isso não consigo encontrar grandes razões para já, é que voltou a verificar-se em abril e em maio, e junho também não está a dar sinais de abrandamento [dos óbitos]”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT