Saúde

Muitos dos casos positivos de Covid-19 estão internados por causa de outras doenças

O impacto da pandemia na saúde pública nesta fase não é tão grave como se poderia esperar.

Ao longo das últimas semanas, todos os dias há dezenas de milhares de novos casos positivos de Covid-19 em Portugal. Isso tem levado também ao aumento no número de internados, acrescentando pressão sobre o SNS, embora estando muito longe da fase mais difícil da pandemia, precisamente há um ano. O motivo, claro, são as vacinas.

Na última semana, o Ministério da Saúde, a Direção-Geral da Saúde (DGS) e as administrações regionais de saúde fizeram um levantamento do número de internados por Covid-19 em Portugal. Uma das conclusões encontradas revela que 40 por cento dos internamentos no País são dados como Covid-19, mas devem-se a outras patologias.

“Entre 55 e 60 por cento dos casos reportados pelos hospitais dizem respeito a doentes cuja admissão a internamento ocorreu devido à Covid-19”, explica o Ministério da Saúde à Lusa, qui citado pelo “Notícias ao Minuto”.

O restante número, os tais 40 por cento, são relativos a utentes que chegaram com outras doenças e que apanham o vírus posteriormente. Nesse caso, não é a Covid-19 a causa do internamento, apesar de estarem a ocupar camas destinadas a tal. Muitos dos internados — segundo o “Público”, que cita dados da Direção-Geral da Saúde — estão hospitalizados, seja em enfermarias ou em unidades de cuidados intensivos, por causa de outras patologias.

“Muitos utentes apresentam quadros assintomáticos ou de doença ligeira. Admite-se que exista ocupação de camas Covid-19 por doentes com outras patologias e cujos internamentos possam ter sido motivados por essas outras circunstâncias, mas que se encontram em camas ou alas dedicadas a doentes positivos para SARS-CoV-2”, diz o Ministério da Saúde.

O que acontece é que, por também estarem infetados com Covid-19, estão em alas específicas só para pessoas que contraíram o vírus — e portanto contam para o número de internados. Alguns são vítimas de acidentes, outros iam ser operados mas testaram positivo antes da cirurgia. O facto é que há menos casos de pneumonia provocados pela Covid-19.

Os boletins diários assumem sempre o número de doentes infetados a ocupar camas Covid. A real causa do internamento apenas é descrita quando é feita a alta. “Os internamentos reportados no relatório de situação diário correspondem aos dados remetidos pelos hospitais relativos ao total de camas ocupadas no final do dia anterior por doentes internados que testam positivo ao SARS-CoV-2, independentemente de a covid-19 ser diagnóstico principal ou secundário.”

A realidade neste início de ano é bem diferente do que a encontrada em 2021. Nessa altura, 75 a 85 por cento dos internamentos tinha como diagnóstico principal a Covid-19.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT