Saúde

Mulheres, atenção: treinar demasiadas vezes pode mesmo afetar a menstruação

A escassez de calorias faz com que o organismo gaste menos energia em atividades fisiológicas não essenciais. E isso é péssimo para a saúde.
É mais comum do que se pensa.

Muitas mulheres ficam preocupadas com atrasos e perdas menstruais, que muitas vezes associam a uma possível gravidez. Porém, há vários outros fatores que podem explicar este fenómeno. Os hábitos alimentares e atividade física, por exemplo, podem influenciar todo o nosso sistema imunológico, o que acaba por se refletir no ciclo menstrual. 

O nosso corpo depende de várias vitaminas e minerais vindos da alimentação para cumprir as funções vitais e manter o seu funcionamento normal e saudável. Além de que o ciclo menstrual é a forma natural de o corpo produzir hormonas sexuais, estrogénio e progesterona, fundamentais ao sistema reprodutor.

No entanto, há mulheres que têm ciclos menstruais bastante irregulares e não sabem o que poderá estar na origem desse problema. “A escassez de calorias faz com que o organismo gaste menos energia em atividades fisiológicas que não são essenciais à sobrevivência, como a menstruação”, explica a nutricionista do FITTEJO, Carolina Pinto, à NiT.

Esta condição chama-se amenorreia hipotalâmica funcional e, segundo a nutricionista, é bastante comum nas mulheres em idade fértil. “Pode estar relacionado com deficiências nutricionais, excesso de atividade física, sonos irregulares e até tensão emocional.”

Quando o corpo humano não recebe calorias suficientes, a sobrevivência torna-se o objetivo principal e o ciclo menstrual não estará na lista de prioridades. O cérebro vai interpretar este período de carência como um ambiente adverso à possibilidade de reprodução e a menstruação é interrompida. “Considera-se que a disponibilidade de energia está baixa quando não se atinge um consumo de 30 calorias por cada quilograma de massa isenta em gordura por dia”, explica Carolina.

Como é que a escassez de calorias acontece? “Por dietas restritivas, baixas em calorias e nutrientes, ou pelo gasto da energia demasiado avultado em exercício físico voluntário”. Estas duas situações podem andar de mão dada, principalmente numa mulher que deseja emagrecer de forma rápida ou atingir um peso muito baixo. Sem acompanhamento, acaba por fazê-lo de forma brusca e sem considerar as carências que pode provocar, nomeadamente em vitaminas e minerais.

Esta é uma condição que tem vindo a ser cada vez mais frequente, principalmente com o aparecimento da pandemia de Covid-19. A pressão do confinamento foi difícil para muitas pessoas e a mensagem de promoção do exercício físico diário não foi útil para todos. A ênfase nesta mensagem foi bastante prejudicial para quem estava a tentar regular a frequência de atividade física ou até tentar comer de forma mais saudável. 

Além disso, as redes sociais podem ser um um problema, na medida em que as mulheres partilham fotos editadas dos corpos e criam expectativas irrealistas sobre o que deveria ser o seu corpo. 

Recuperar de um quadro de amenorreia é um processo lento e envolve, preferencialmente, acompanhamento multidisciplinar. Alguns cuidados que podem ser adotados passam por implementar hábitos saudáveis de vida diária, reduzir o stress, fazer exercício físico moderado e levar uma alimentação adequada.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT