Alimentação Saudável

“Não faz mal ganhar peso”: influencer mostra que engordou — e agora é mais feliz

Alexandra Lights, que já sofreu de vários distúrbios alimentares, usa a sua conta de Instagram para falar de body positive.
Tem 31 anos.

Quando entramos num novo ano, é quase automático: sentimos-nos culpados pelo mais pequeno aumento de peso. Alexandra Lights, que já sofreu vários distúrbios alimentares, utiliza a sua conta de Instagram, onde é seguida por mais de 314 mil pessoas, para relembrar que “não faz mal ganhar peso”.

Alex, como é mais conhecida, já foi editora de beleza na “HELLO! Magazine”. Agora, continua a trabalhar para a publicação como influencer de beleza e dedica-se às redes sociais com o objetivo de “ajudar mulheres a sentirem-se bem com os seus corpos”. Assume-se como seguidora do body positive — aceitar o corpo tal como ele é — como e anti-dietas.

A britânica de 31 anos tem vindo a gerar uma onda de amor/ódio. Se há quem adore as publicações nas quais mostra como era quando sofreu de anorexia, não esconde a celulite, nem os vestígios de gordura, existem outras que pedem constantemente para parar. 

São aquelas pessoas “que expressam falsa preocupação com a minha saúde, preocupadas por estar a ganhar muito peso e que isso terá um impacto negativo sobre a minha saúde de alguma forma, ou informando-me que parecia ‘melhor’ quando estava anoréxica”, escreveu num artigo para a “Harper’s Bazaar” britânica.

Entenda-se ou não a sua missão, a sua honestidade levou-a a integrar a edição de janeiro de 2021 da revista britânica “Cosmopolitan”, juntamente com outras mulheres com diferentes tipos de corpos e histórias.

“A saúde não tem tamanho, isso é uma mentira da cultura da dieta. O tamanho certo para ti é aquele em que o teu corpo é alimentado e nutrido e tu não tens restrições. O tamanho certo para ti não precisa ser igual ao coelho da academia com 0% de gordura corporal que todos nós acreditamos ser a imagem da saúde”, escreve na publicação na qual fala desse feito, pedindo para ser beliscada por não estar a acreditar no que aconteceu.

A capa da revista soma milhares de gostos, mas uma publicação que fez uns dias antes também. Lá, surge em duas imagens: do lado esquerdo, visivelmente mais magra, na altura em que sofria de um transtorno alimentar, e do lado direito, com mais peso e muito mais feliz, como faz questão de clarificar.

“Tudo começa com compaixão e compreensão e permitindo dar espaço a ti própria para te aceitares exatamente onde estás agora”, escreveu, depois de dizer que “não faz mal ganhar peso” e que isso não é sinal de preguiça ou falta de força de vontade.

Numa outra publicação de dezembro, relembra que perder peso não aumenta o nosso valor como humanos. “⁣Na verdade, ao mantê-lo como foco principal, estás a prejudicar significativamente o teu potencial de agregar valor verdadeiro à tua vida — e ao mundo. ⁣⁣ Não caias na armadilha. ⁣⁣O teu peso não define o teu valor.”

Alex já desabafou várias vezes aos seus seguidores que lutou a vida inteira contra a comida e a imagem corporal, passando por vários distúrbios alimentares. “A recuperação foi a coisa mais difícil que já tive de fazer. Mas também o trabalho mais gratificante e libertador que já fiz.”

Agora, sabe que está no caminho certo. Utiliza a sua conta de Instagram para alertar para os temas relacionados com a imagem corporal e os transtornos alimentares, tem um podcast chamado “The Light Show” e um grupo privado no Facebook, que existe desde abril de 2019, para quem quiser falar livremente sobre estes temas. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT