Saúde

Nem tudo é o que parece: a foto do momento mostra como um ângulo elimina a celulite

Foi publicada numa conta de Instagram que quer ajudar toda a gente a sentir-se bem com o respetivo corpo.
Tem 33 anos.

Tinha 109 mil seguidores no Instagram em abril deste ano. Agora, cerca de cinco meses depois, é acompanhada por mais de 1,8 milhões de pessoas. Foi um aumento natural que se deveu às denúncias que faz diariamente no seu mural. O objetivo é simples: ajudar toda a gente a sentir-se normal.

A autora desta popular conta chama-se Danae Mercer, uma jornalista dos Emirados Árabes Unidos que escreve para para publicações como a “CNN”, “Times” e “The Guardian”, e que a NiT já deu a conhecer.

Utilizadora de redes sociais há muito tempo, nem sempre teve noção do perigo das redes sociais. “Pensamos que são ainda mais a vida real do que aquilo que vemos nas revistas ou na televisão. Mas não é, de todo. É muito filtrado”, disse numa entrevista ao “Insider” em abril.

Danae não tem nada contra a preparação e a edição, mas considera bastante importante que todos sejam educados em relação a isso. Por outras palavras: que todos tenham noção de que nem tudo é o que parece e que são usados muitos truques para se aparentar ter um corpo que, na verdade, não reflete a realidade por trás de uma câmara.

Até 2019, a jornalista de 33 anos partilhava esse tipo de fotografias e conteúdos como férias de luxo e fotografias a praticar exercício físico. Mas “isso não refletia o que eu sentia por dentro”, confessa, daí ter decidido usar a sua plataforma para denunciar a falsa perfeição. Para isso começou, inclusive, a publicar imagens onde se vêem as suas estrias e celulite.

View this post on Instagram

The angle you see VS the one you don’t (with Koala kitten as a bonus) / or let’s talk BOYFRIENDS. In the last six months, I’ve been DMed multiple times by gals telling me they’ve shown their partner my photos. ‘And he thought it wasn’t the SAME PERSON!’ They add. A friend of mine used her body to demonstrate. ‘Look at what happens when I relax. Look at my skin.’ Her partner had never seen her sit like that before. She hadn’t allowed herself to around him. I’ve had one man, a husband, message me something similar. He always thought only the women in his life had CELLULITE sitting down. ‘I never saw it on social,’ he added. So clearly it was just the gals he knew that had these, to use his words, ‘imperfections.’ The offline women were ‘off’. The online women perfect. This is a theme we are seeing more and more. Young boys are growing up with dark internet corners and ideal social media worlds. By 10, studies show they’ll have been exposed to plenty of not-for-children content. TikTok slips in face editing apps automatically. There are video tools that change bodies real time. All this brings me back to my first point: Let’s talk about guys. And how we can make a change. I don’t know the answer to this one. I don’t have any advice. But it’s on my mind and it’s in my DMs. And at this exact moment, it’s bouncing around the comment section of an old post too. But perhaps a first step would be this: Let your partner see you from all the angles, And remind the kiddos that online isn’t real. Before we get to a point where only glossy perfection is the only type of reality so many of us know. #instavsreality #selflove #mycalvins #feminist #bodyacceptance

A post shared by Danae | Angles + Self Love (@danaemercer) on

Quem diz que a celulite é má? Quem nos faz sentir envergonhadas por termos estrias? Quem é que criou esta ideia de beleza?”, escreveu na legenda de uma das suas fotografias.

Por vezes faz vídeos onde mostra como a luz ou o ângulo, assim como a posição da roupa, pode fazer uma enorme diferença na imagem final. Contudo, o seu conteúdo é quase sempre uma montagem, exatamente no mesmo sítio e com a mesma roupa, mas a sua postura faz com que pareçam dois corpos totalmente opostos.

Uma das suas fotografias mais recentes, partilhada no dia 25 de agosto, é também uma das mais virais, estando a correr a Internet. Soma mais de 112 mil gostos e mais de 890 comentários.

Danae Mercer surge sentada no chão, em cima de um tapete, em duas posições diferentes: do lado esquerdo está de frente, com o peito inclinado e as costas direitas. Do outro lado surge de lado, mostrando mais as pernas — zona onde revela a sua celulite sem problemas — e a sua barriga também fica completamente diferente.

“O ângulo que vês VS. aquele que não vês”, pode ler-se. “Nos últimos seis meses, fui abordada várias vezes por miúdas que me disseram que mostraram as minhas fotos aos seus parceiros. E eles pensaram que não era a mesma pessoa”, começa por contar na descrição.

View this post on Instagram

Everyone has a chapter they don’t read out loud. So today, if you are struggling, whether it’s with your body or your heart or your soul, know you are welcome here. You are welcome exactly as you are. When my mom died, grief didn’t make me gnash my teeth. Or cry constantly. Or crumple. It pushed me into academic rigor and internships and research groups. It had me shedding pounds while stacking up achievements. Friends pulled away, not understanding, disapproving. ‘We do not think you’re handling this correctly.’ And when I graduated steeped in success, I was close to shattering. That was my grief. That’s what it looked like. I think of that little girl often. Now more than ever. Because here, in this community, so many of you are facing your own battles. There are so many stories. And so many unshared struggles. A young woman messaged me the other day: ‘My friends say I can’t be depressed because I wear bikinis. How can I talk to them?’ Another messaged me a few weeks ago: ‘This online shaming, it’s led me to a binge cycle. I can’t. I can’t. I can’t.’ I don’t have all the answers. But what I do know is this: The world is better with you in it. Even at your lowest, your most shame-filled, your most vulnerable, you are worthy of life and worthy of love. And one day, maybe not today but one day, you will be able to look back on those darker chapters with kindness. Because you are strong. You are magnificent. And you, with all your words unsaid, with all your delicate bindings and phrases, you are welcome here. You are always welcome here. You are. You. x Art @stay.rare.designs @ria.e.johnson / #selflove #selfacceptance #feminist #youareworthy

A post shared by Danae | Angles + Self Love (@danaemercer) on

A jornalista diz que também recebeu uma mensagem de um homem e marido que pensava que apenas as mulheres da sua vida tinham celulite quando se sentavam. “Nunca vi isso nas redes sociais”, terá dito a Danae. “Claramente, eram apenas as mulheres que ele conhecia que tinham essas, para usar as suas palavras, ‘imperfeições’. As mulheres offline estavam ‘desligadas’. As mulheres online perfeitas”, escreve.

E continua: “Este é um tema que vemos cada vez mais. Os miúdos estão a crescer com os mundos ideais das redes sociais. Aos dez anos, estudos mostram que eles terão sido expostos a muitos conteúdos não destinados a crianças. O TikTok entra automaticamente nas aplicações de edição de rosto. Existem ferramentas de vídeo que mudam os corpos em tempo real.”

O conselho de Danae Mercer é dar o primeiro passo: deixar que o teu parceiro te veja de todos os ângulos, e lembrar as crianças de que aquilo que está online nem sempre é real, “antes de chegarmos a um ponto em que apenas a perfeição brilhante passa a ser o único tipo de realidade que muitos de nós conhecemos”.

Carregue na galeria para ver mais montagens virais feitas pela jornalista.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT