Saúde

O “Homem-Aranha francês” voltou a trepar aos céus (agora em protesto contra o passe Covid)

Alain Robert acumula um longo curriculum de subidas de arranha-céus. Agora repetiu a proeza na sua França natal.
Já tem 59 anos.

O nome Alain Robert talvez não seja o mais conhecido para muitos leitores mas é como “Homem-Aranha” que este alpinista francês se tem celebrizado pelo mundo fora.

A razão? As suas intrépidas subidas de arranha-céus, muitas vezes em atos de protesto. Desta vez, começou esta terça-feira, 7 de setembro, nova subida. Está a escalar com as próprias mãos uma torre de 190 metros situada no bairro de La Défense, em Paris. A subida é em protesto contra o passe sanitário que França está a implementar em tempos de pandemia.

Ao longo dos anos, Alain Robert acumulou um curriculum incrível no que a montanhas urbanas diz respeito. Já subiu o imponente Burj Khalifa, no Dubai, o maior arranha-céus do mundo, mas também subiu estruturas icónicas, como Torre Eiffel e o Empire State Building e até a Ponte 25 de Abril, em Lisboa, em 2007.

Geralmente, este “Homem-Aranha” costuma acabar detido por crimes menores como invasão de propriedade privada ou perturbação da ordem pública. Aconteceu também assim em Portugal. Esta é a segunda vez que a Covid-19 inspira uma das suas escaladas urbanas. Em março de 2020, subiu ao topo da torre Agbar, em Barcelona, para protestar contra o medo pelo novo coronavírus.

Algumas das suas icónicas subidas foram solitárias mas desta vez, em La Défense, está a subir na companhia de outros três alpinistas: Marcin Banot, Frances Alexis Landot e Leo Urban.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT