Saúde

O risco de morte dos não vacinados é três a seis vezes superior aos vacinados

Dose de reforço reduz risco mais de 18 vezes em relação aos não vacinados ou com esquema vacinal incompleto com mais de 80 anos.
Os idosos sofreram bastante com a pandemia.

Segundo o novo relatório das Linhas Vermelhas publicado esta sexta-feira, 14 de janeiro, pelo Instituto Nacional Doutor Ricardo Jorge (INSA) em conjunto com a Direção-Geral da Saúde, não vacinados contra a Covid-19 apresentam um risco de morte três a seis vezes superior aos vacinados. 

Em Portugal, mais de 8,7 milhões de pessoas têm a vacinação primária completa e cerca de 3,6 milhões já receberam a dose de reforço. Em dezembro de 2021, o documento indica que ocorreram 171 mortes relacionadas com a Covid-19 em pessoas com o esquema vacinal primário completo, 168 mortes em não vacinados ou com a vacinação incompleta e 32 mortes daqueles que tinham a dose de reforço. 

Em maiores de 80 anos, o documento refere que “por cada 100 casos sem esquema vacinal completo, cerca de 20 casos morreram, por cada 100 casos com esquema vacinal completo, cerca de sete casos morreram e por cada 100 casos com esquema vacinal completo e a dose de reforço, cerca de um caso morreu”.

Nesta faixa etária, “a dose de reforço reduz o risco de morte por Covid-19 quase seis vezes em relação a quem tem esquema vacinal completo e reduz mais de 18 vezes o risco de morte em relação aos não vacinados ou com esquema incompleto”.

Em novembro, verificou-se um padrão idêntico nos internamentos: “Os casos com esquema vacinal completo parecem apresentar um risco de hospitalização aproximadamente duas a cinco vezes inferior aos casos não vacinados”. Ou seja, “por cada 100 casos sem esquema vacinal completo, cerca de 19 casos foram internados. Por cada 100 casos com esquema vacinal completo, cerca de 8 casos foram internados”.

“O risco de internamento neste grupo etário [80 ou mais anos] para os casos com um esquema vacinal completo foi menos de metade relativamente aos casos sem um esquema vacinal completo. O risco de internamento para quem tem dose de reforço é metade do risco de internamento de quem tem vacinação completa”, lê-se no documento.

A mortalidade por Covid-19 aumentou 25 por cento numa semana. Este valor situa-se acima do limiar definido pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças. Segundo o relatório, este valor da mortalidade pode indicar “uma inversão da tendência estável que se vinha a verificar, dado que se observa um aumento progressivo no número de óbitos diários na última semana”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT