Saúde

Ocupação do hospital Garcia de Orta já chegou a 250% da capacidade

A unidade de Almada está perto da ruptura, com mais de 200 doentes internados com Covid-19.
Não aguenta mais.

É uma situação extrema a que enfrentam por estes dias muitos hospitais em Portugal por causa do aumento exponencial de casos de Covid-19. A mais recente unidade a revelar que está a entrar em rutura foi o hospital Garcia de Orta em Almada. De acordo com a administração, o hospital ultrapassou este sábado, 23 de janeiro, os 200 doentes de covid-19, o que significa uma taxa de ocupação superior a 250 por cento.

Em comunicado, o Garcia de Orta avançou que dos 201 doentes infetados com o novo coronavírus, 175 estão internados em enfermaria e 18 em unidade de cuidados intensivos. Há oito doentes que se encontram em unidade de hospitalização domiciliária.

“O HGO permanece no nível III do seu plano de contingência, apresentando à data de hoje uma taxa de ocupação superior a 250% relativamente ao que previa o plano de contingência, nomeadamente de 66 camas em enfermaria e nove de cuidados intensivos”, pode ler-se no comunicado enviado pelo hospital.

No mesmo documento, a administração do Garcia de Orta adianta que o hospital está a “ajustar a lotação afeta à covid-19” de modo a “acomodar a necessidade do número de doentes internados positivos por infeção por SARS-CoV-2”. Ao todo, o Garcia de Orta serve uma população de cerca de 350 mil habitantes, provenientes dos concelhos de Almada e Seixal.

Recorde-se que este sábado, 23 de janeiro, Portugal registou um novo máximo de mortes relacionadas com a covid-19 (274), elevando assim o total de óbitos no nosso País desde o início da pandemia para 10.194.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT