Saúde

OMS emite alerta sobre venda de Ozempic falsificado em vários países

Originalmente destinado para a diabetes, a elevada procura devido aos efeitos na perda de peso criou um mercado ilegal.
Tenha cuidado.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) emitiu esta quinta-feira, 20 de junho, um alerta para venda de contrafações do medicamento Ozempic utilizado no tratamento da diabetes. O fármaco é também conhecido pelo seu efeito na perda de peso.

A OMS identificou a adulteração em lotes do medicamento no Brasil, Reino Unido e nos EUA em 2023. Algumas dos injetáveis identificados não contêm semaglutido, o princípio ativo antidiabético, mas sim outras substâncias, como insulina, adianta a BBC. Estas fórmulas representam um risco elevado a saúde, podendo causar efeitos adversos graves e até fatais.

A ação do Ozempic passa por enviar sinais para o cérebro que reduzem a fome, o que provoca perda de peso. Devido a este efeito, tem sido utilizado para emagrecer e não para a sua finalidade original: controlar os níveis de açúcar no sangue. Esta situação levou a um aumento na procura do medicamento, o que resultou na sua escassez. Como resultado, surgiu um mercado ilegal de venda do remédio.

“Recomendamos os profissionais de saúde, as entidades reguladoras e o público a estarem vigilantes a estes lotes falsificados de medicamentos”, afirmou a vice-diretora geral da OMS, Yukiko Nakatani, citada pela BBC. 

A organização também solicitou que a compra do medicamento seja realizada apenas através de meios confiáveis. As aquisições online, assim como em redes sociais, devem ser evitadas.

Em outubro do ano passado, o Infarmed já havia sido alertado pela Agência Europeia do Medicamento (EMA) sobre a contrafação do Ozempic. Várias pessoas foram parar às urgências com convulsões e hipoglicemia na Áustria. Em Portugal não foram detetadas unidades alteradas.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT