Saúde

OMS recomenda beber apenas leite pasteurizado para evitar vírus da gripe das aves

Novos casos da doença têm preocupado a autoridade de saúde que pede cautela e cuidado no consumo.
Faça atenção.

Os novos casos de gripe das aves têm surgido de forma pontual, mas com a frequência suficiente para preocupação as entidades de saúde. Esta sexta-feira, 19 de abril, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou o consumo de leite pasteurizado após a descoberta de fortes concentrações do vírus H5N1 (que causa a gripe aviária) no leite de vacas nos Estados Unidos.

Os especialistas estão a investigar quanto tempo é que o vírus resiste neste alimento. Até à luz dos novos dados pedem, por isso, prudência. “Uma vez que os estudos estão a decorrer, é importante que as pessoas tenham práticas alimentares seguras, incluindo consumir apenas leite pasteurizado”, afirmou Wenqing Zhang, encarregada pelo programa de gripes, citada pelo “Observador”.

Há várias manadas afetadas em vários estados norte-americanos, o que significa que estamos numa “nova etapa na propagação do vírus aos mamíferos”. Para evitar o contágio, os especialistas aconselham a que se beba apenas leite que passa pelo processo de pasteurização, ou seja, que é aquecido a uma determinada temperatura e depois arrefecido rapidamente. Este método mata qualquer vestígio do vírus H5N1. Quem compra o leite embalado pode estar descansado porque, à partida foi ultrapasteurizado.

Detetado pela primeira vez na Irlanda em 1983, o H5N8 surgiu de forma esporádica até ao primeiro grande surto, que se verificou em 2014 na Coreia do Sul e que obrigou ao abate de mais de 600 mil aves. Os surtos sucederam-se um pouco por todo o mundo — normalmente transmitidos por aves migratórias.

O subtipo H1N1 é talvez o mais famoso, o vírus que provocou a pandemia em 1918, que terá provocado milhões de mortos em todo o mundo. No que toca à gripe aviária, estamos a falar do subtipo H5N1, uma variante que se adaptou à transmissão entre aves e que chegou a preocupar, mas que misteriosamente abrandaram em 2017.

Segundo a OMS, entre janeiro de 2023 e abril de 2024 foram registados 889 casos humanos de gripe aviária em 23 países. Resultaram em 463 mortes, elevando a taxa de mortalidade para 52 por cento. Os animais também não ficaram imunes. Em março, vacas e cabras juntaram-se à lista dos animais sensíveis a este tipo de gripe.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT