Saúde

Pandemia obrigou a cancelar 1,3 milhões de consultas nos hospitais em 2020

Também ficaram por se realizar mais de 150 mil cirurgias.
Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

O ano de 2020 será sempre recordado como um ano negro na nossa história. E não será apenas por causa da pandemia de Covid-19 e todos os efeitos nefastos que trouxe consigo. É que a reorganização que o combate ao vírus obrigou levou a que muitos doentes não covid fossem afetados no acompanhamento das suas patologias.

De acordo com a “Lusa”, que cita os dados do Portal da Transparência do Ministério da Saúde, durante o ano passado houve menos 151 mil cirurgias e menos 1,3 milhões de consultas nos hospitais públicos. Segundo a informação disponibilizada, os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) realizaram um total de 1.155.479 cirurgias — entre programadas, urgentes, em ambulatório e convencionais — nos 12 meses de 2020. Ou seja, menos 151.476 do que as que tinha ocorrido em 2019.

Já no que diz respeito a consultas, em 2020 os hospitais fizeram 11,1 milhões, quando em 2019 tinham realizado 12,4 milhões. Foram menos 584 mil primeiras consultas e menos 726 mil consultas de seguimento.

A “Lusa” avança ainda que, para mitigar esta quebra nos hospitais, houve um maior recurso à telemedicina: foram feitas 44.534 consultas por esta via em 2020, mais 14.756 do que em 2019.

Também as idas às urgências foram afetadas pela pandemia, com os registos a mostrarem menos 1,9 milhões de episódios nos hospitais do SNS durante o ano passado.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT