Saúde

Pela primeira vez em quase 20 anos, EUA aprovam medicamento contra a Alzheimer

Chama-se Aduhelm e foi desenvolvido pela farmacêutica Biogen, em parceria com a japonesa Eisai.
Aprovação foi polémica.

A justificação foi clara: “Os benefícios do Aduhelm para os pacientes com doença de Alzheimer superam os riscos da terapia”. As palavras são da Food and Drug Administration (FDA), regulador norte-americano, e confirmam a chegada de um novo medicamento contra a doença neurodegenerativa.

A aprovação foi confirmada na última segunda-feira, dia 7 de junho, mas não foi sem polémica, como nota a Associated Press. O Aduhelm foi o primeiro medicamento contra a Alzheimer em quase 20 anos a receber autorização por parte da FDA. A aprovação chegou recorrendo a um mecanismo que permite uma aprovação mais rápida do que o habitual.

A FDA defende que havia apenas “incertezas residuais” em torno do aducanumab, que será vendido como Aduhelm, e que é “razoavelmente provável” que tenha benefícios para os pacientes. Entre os especialistas citados pela agência noticiosa há quem se admitia “desapontado”, considerando que o regulador não foi exigente o suficiente com os dados.

O medicamento em causa é visto como inovador: não trata apenas os sintomas que a doença vai causando ao longo do tempo mas é dirigido à presença de placas beta-amiloides no cérebro, procurando assim retardar a evolução da demência.

A farmacêutica, como parte da aprovação, vai ter de levar a cabo um novo estudo de acompanhamento do medicamento. Estima-se que o tratamento ao longo de um ano custará à volta de 56 mil euros. A aprovação diz apenas respeito ao mercado norte-americano.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT