Saúde

“A pior constipação de sempre”: estão a regressar em força as gripes e os resfriados

Tosse, nariz a correr e até mesmo febre. E não, não é Covid-19. São sintomas que há muito conhecemos e em Inglaterra já se sentem.
Gripes e constipações de volta.

Muitas medidas implementadas para a Covid-19, como máscaras, distanciamento social e até o cuidado de evitar escola ou trabalho quando surgem alguns sintomas, ajudam a evitar também a propagação da gripe.

Depois de no último ano e meio, à conta da pandemia, os índices de gripe terem descido de forma clara, é expectável que este inverno marque o regresso da gripe.

Gustavo Tato Borges, presidente em exercício da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública, já tinha alertado a NiT que podemos esperar este inverno o regresso da gripe. Na verdade, o pico do inverno até pode ser um desafio específico para os hospitais, com alguns casos de gripe e outros de Covid-19.

Em Inglaterra há sintomas que já se notam, reporta a “BBC”. A tal tosse, dores no corpo, nariz a correr ou mesmo febre são o tipo de sintomas que no último ano e meio tememos que podiam significar Covid-19. Mas neste caso há já ingleses a dar conta online que fizeram testes “e não, não é Covid-19”. O que não quer dizer que seja menos fácil. Em certos casos encontramos no Twitter quem se queixe “da pior constipação de sempre”.

À “BBC”, a médica Philippa Kaye admite que era previsível. “Já estamos a socializar e a misturar-nos como não o fazíamos há 18 meses”. Este contacto facilita a propagação de outros vírus para lá da Covid-19. A mesma especialista acrescenta que, neste momento, em especial em Londres, já se nota que a tendência para gripes e constipações já está próxima do que seria esperar nesta altura do ano, antes da pandemia. O tal aliviar de restrições está diretamente ligado a isso.

A diferença de facto é que, lá como cá, já estávamos habituados à “época normal da gripe” e a Covid-19 provou ser um teste especialmente difícil aos serviços nacionais de saúde, pela gravidade de uma parte dos casos.

Como há de facto sintomas que se podem confundir, é importante não esquecer os cuidados e fazer teste à Covid-19 quando necessário — nem que seja para esclarecer dúvidas. Também nunca é demais recordar os sintomas mais frequentes associados à infeção pela Covid-19. Aproveitamos para recordar a informação da DGS.

  • — febre (temperaturas a partir de 38 graus) sem outra causa atribuível
  • — tosse de novo, ou agravamento do padrão habitual, ou associada a dores de cabeça ou dores generalizadas do corpo
  • — dificuldade respiratória/dispneia, sem outra causa atribuível
  • —perda total ou parcial do olfato (anosmia), enfraquecimento do paladar (ageusia) ou perturbação ou diminuição do paladar (disgeusia) de início súbito

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT