saúde

Pneumologista alerta para os perigos da retirada generalizada das máscaras

O diretor do Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar de Leiria considera que o uso deve ser equilibrado.
O inverno pode ser um período crítico.

“Há um medo que tenho, porque sou pneumologista, que se a retirada das máscaras for generalizada, vamos ter um aumento de doença viral difusa ao nível do País.” O alerta é deixado por Salvato Feijó, diretor do Serviço de Pneumologia do Centro Hospitalar de Leiria. Esteve reunido esta quinta-feira, 7 de outubro, com o presidente da secção regional da Ordem dos Médicos.

Um dos pontos da ordem de trabalhos foi a escassez de profissionais de saúde nas urgências do Hospital de Leiria, mas acabou por abordar outros temas. Salvato Feijó defende que a retirada da máscara não deve ser generalizada, nem que ocorra o oposto, com a manutenção contínua. Terá de existir um equilíbrio.

“Se passarmos muito tempo sem exposição viral, a nossa capacidade imunitária também diminui. Portanto, isso tem de ser gerido de forma que haja um equilíbrio”, continuou, aqui em declarações  à agência Lusa, citado pelo “Observador”.

O inverno, com temperaturas mais baixas, está próximo e teme que os serviços hospitalares recebam um maior fluxo. “Esperemos que isso não aconteça. Ninguém sabe bem, mas as máscaras quanto a mim vão ter um papel muito preponderante”, continuou.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT