Saúde

Portugal é o sexto país da Europa com maior incidência do vírus Monkeypox

Há 17.897 casos registados no continente europeu e 99 por cento dos infetados são homens. Já morreram duas pessoas.
Já são 710 infetados.

Já foram registadas 17.897 infeções pelo vírus Monkeypox na Europa, em 41 países. Portugal é o sexto país europeu com maior incidência, com um total de 710 pessoas infetadas (o primeiro caso foi registado a 3 de maio). Os dados foram divulgados esta quinta-feira, 11 de agosto, pelas autoridades de saúde europeias.

Segundo os números publicados, Espanha tem o número mais elevado de infetados (5.162), seguida pela Alemanha (2.982), Reino Unido (2.973), França (2.423) e Holanda (959). A maior parte dos pacientes estão na faixa etária dos 31 aos 40 anos (40 por cento), e 99 por cento são do sexo masculino. Em Portugal existem quatro doentes do sexo feminino.

O novo vírus já levou à hospitalização de 455 pacientes e 163 destes necessitaram de cuidados clínicos, como internamento em unidades de cuidados intensivos. No continente europeu já se registaram duas mortes provocadas por complicações associadas à doença.

Os principais sintomas da varíola dos macacos são febre, fadiga, dores musculares, erupção cutânea, arrepios e dores de cabeça. Caso verifique algum destes indícios, deve “procurar aconselhamento clínico”, recomenda a Direção-Geral da Saúde (DGS). É igualmente importante “abster-se de contacto físico direto com outras pessoas e de partilhar vestuário, toalhas, lençóis e objetos pessoais enquanto estiverem presentes as lesões cutâneas, em qualquer estádio, ou outros sintomas”.

Em maio, a entidade de saúde nacional definiu as regras de abordagem clínica e epidemiológica para casos de infeção. Envolvem abstinência sexual e evitamento de contacto próximo com animais domésticos. Já em julho, alertou que o preservativo não protege contra o vírus.

Leia ainda sobre a descoberta, feita em Portugal, que pode ser fundamental para perceber a origem do surto e as causas da rápida disseminação da doença. O artigo sobre as potenciais vacinas que a farmacêutica Moderna está a testar em estudos pré-clínicos também lhe pode interessar.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT