Saúde

Problemas no autoagendamento de vacinas foram responsáveis pelas filas em Sintra

A situação já foi resolvida, anunciou ao final do dia de domingo o Ministério da Saúde.
Vacinação continua a decorrer.

As notícias de filas de espera de dezenas de pessoas em vários postos de vacinação de Sintra — que se encontravam fechados — marcou este domingo, 2 de maio. Mas ao final do dia, o governo esclarecia; tinha sido originado um problema com o sistema de autoagendamento, entretanto resolvido.

No fim da tarde de domingo, o Ministério da Saúde admitiu “constrangimentos pontuais” relacionados com convocatórias de alguns utentes, no processo de autoagendamento para a vacinação contra a Covid-19, como aconteceu em Agualva, Sintra. “Nesta primeira fase do processo de autoagendamento, com vacinação em 250 pontos diferentes, registaram-se constrangimentos pontuais relacionados com a convocatória de alguns utentes, que foram imediatamente corrigidos”, disse fonte oficial do Ministério da Saúde à Agência Lusa.

O governo respondia assim quando questionado sobre a situação verificada em pelo menos três centros de saúde de Sintra, supostamente devido a autoagendamentos para a vacinação contra a Covid-19 sem conhecimento prévio das autoridades de saúde locais. “Para que os utentes que se dirigiram ao Centro de Vacinação COVID-19 (CVC) de Agualva, o ACES Sintra/ARSLVT, em articulação com a SPMS e com a Task Force, desencadeou as medidas necessárias para minimizar os impactos no processo de vacinação”, disse a mesma fonte.

O Ministério da Saúde acrescentou que Centro de Vacinação de Agualva acabou por abrir ao início da tarde de domingo, administrando vacinas a quem lá se deslocou, indicando ainda que “os restantes utentes já foram contactados para garantir o reagendamento no início da próxima semana, como previsto”.

O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) de Sintra, distrito de Lisboa, foi confrontado no domingo com cerca de 200 autoagendamentos para vacinação contra a Covid-19, sem que existisse conhecimento prévio, o que motivou filas com dezenas pessoas em Agualva. “Contrariamente ao que estava previsto, houve agendamentos centrais feitos no Portal de Autoagendamento, portanto não estavam previstas essas vacinações”, explicou a responsável do ACES de Sintra à Lusa.

Além da fila de pessoas à espera em Agualva, houve mais dois centros de saúde de Sintra “exatamente nas mesmas circunstâncias”, mas com menos número de autoagendamentos, em que a decisão foi de identificar os utentes para proceder ao reagendamento da vacinação pelos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, uma vez que são quem tem a responsabilidade pelos agendamentos iniciais.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT