Saúde

Regresso dos testes gratuitos: SNS24 prescreve antigénio em caso de autoteste positivo

A medida foi anunciada na sequência do aumento de número de casos. A ministra da Saúde garante que não haverá tempo de espera.
Ministra da Saúde falou hoje aos jornalistas.

Quem testar positivo para a Covid-19 num autoteste e ligar para a linha Saúde 24 terá acesso a uma prescrição automática para um teste rápido de antigénio, garantiu a ministra da Saúde, Marta Temido esta quinta-feira. A medida entra em vigor já no final desta semana.

“Mais do que regressar à opção que tivemos — (dos testes gratuitos nas farmácias) e que entendemos que neste momento já não é adequada, como noutros países já não será —, é a possibilidade de descongestionar o acesso aos testes rápidos de antigénio”, justificou Marta Temido aos jornalistas após uma visita à Unidade de Hospitalização Domiciliária do Hospital de Santa Maria.

A governante descreveu a medida como adequada à atual situação epidemiológica e garante que o atendimento e encaminhamento para obter a prescrição serão automáticos e “sem constrangimentos de espera”.

Marta Temido desvalorizou o aumento de casos Covid-19, argumentando que “era expectável”. O último relatório de monitorização epidemiológica e sequenciação genómica elaborado pelo Instituto Ricardo Jorge mostra “um aumento de uma das linhagens da variante Ómicron que tem um crescimento bastante significativo, sendo já de 37 por cento da prevalência, e que poderá atingir os 80 por cento a 20 de maio”.

A ministra da Saúde alerta ainda que é possível que “tenhamos ainda algum crescimento” no número de infeções, frisando que a situação está a ser acompanhada pelos peritos. Temido lembrou ainda que o governo sempre disse que as medidas definidas eram “evolutivas e proporcionais em função da situação epidemiológica”. E acrescentou: “neste momento, o impacto da doença é totalmente diferente”.

Questionada sobre a hipótese de dar um passo atrás nas medidas de proteção respondeu: “não está nenhuma hipótese fora de discussão, mas, muito provavelmente, conseguiremos — com a ajuda de todos — ultrapassar também esta fase de crescimento de casos”, afirmou. “Cada um tem de avaliar a situação e proteger-se e proteger os outros”, aconselhou Marta Temido.
 
Portugal é atualmente o país da União Europeia (UE) com a maior taxa de infeções diárias por milhão de habitantes. Só na terça-feira, o país registou 24.538 infeções por SARS-CoV-2 e mais 26 óbitos, tendo registado mais de 20 mil casos por dia, pelo segundo dia consecutivo. Os especialistas relacionam este aumento de novos casos ao levantamento das restrições relativas ao uso da máscara, bem como ao surgimento de novas variantes do vírus.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT