Saúde

Sim, é possível deixar de fumar a levar choques elétricos nas orelhas

Fumadores há 20 anos demoram, em média, 15 anos a desintoxicar o organismo. Este tratamento ajuda a acelerar este processo.
Numa sessão pode deixar de fumar.

Todos temos um amigo ou já ouvimos falar de alguém que fez um tratamento para deixar de fumar com choques nas orelhas. Parece algo absurdo, mas não é. O tratamento está reconhecido pela Organização Mundial de Saúde como uma terapia alternativa complementar e que, de facto, apresenta bons resultados.

É um tipo de tratamento que estimula as áreas do cérebro responsáveis pela ansiedade, pelo stress e pela irritabilidade, as mesmas do desejo de fumar, por exemplo. A auriculoterapia francesa tem base na Medicina Tradicional Chinesa e pode ser direcionada para várias mudanças no corpo humano, como aliviar o stress ou deixar de fumar. É assim o método Viver Sem Fumo.

Cristiana Machado é uma das pioneiras neste tratamento em Portugal e explica que o procedimento consiste em mapear o pavilhão auricular e perceber que determinadas zonas da nossa orelha estão diretamente ligadas ao córtex cerebral. “Procuramos os pontos da ansiedade, stress e irritabilidade, que normalmente estão associados à vontade de fumar”, diz a terapeuta à NiT.

No entanto, todo o tratamento é inteiramente personalizado e terá de ser associado aos hábitos comportamentais de cada pessoa — nível de dependência, quando é que fuma, há quanto tempo é que o faz ou até em que situações é que sente mais vontade de fumar.

“Para impulsionar a eficácia do tratamento temos de identificar os impulsos que desencadeiam este vício em cada pessoa”, acrescenta Cristiana. 

O tratamento custa 150€, demora entre 10 a 15 minutos e deixa imediatamente serenidade e estranheza ao sabor e ao cheiro do tabaco no fumador. “Numa primeira sessão, normalmente deixa-se de fumar. Caso haja alguma recaída, há necessidade de fazer um reforço do tratamento”, afirma a terapeuta.

Cada pessoa tems os pontos no mapeamento do campo auricular mais ou menos inflamados. Ou seja, se a pessoa for mais nervosa, vai ter certos pontos mais inflamados; no caso de ser fumadora há vários anos, a terapeuta consegue também perceber isso través do mapeamento. “Depois de mapeado, são aplicados os eletroestímulos que vão sobrecarregar certos neurotransmissores, habituando o cérebro à inexistência da necessidade da nicotina”, diz Cristiana.

Ainda assim, o tratamento é mais eficaz quando os fumadores estão determinados a acabar com o vício do tabaco, uma vez que têm de ter bastante força de vontade para não sofrer uma recaída. “A dependência física, vou conseguir tratar. Mas a dependência psicológica depende muito da própria pessoa”, afirma Cristiana Machado.

Cada indivíduo que seja fumador há 20 anos demora, em média, 15 anos a desintoxicar o organismo. Com este tipo de tratamento consegue acelerar-se esse processo. Os reforços do tratamento serão necessários mediante os anos que a pessoa for fumadora e ainda a atividade neuronal de cada um.

Independentemente de ter deixado por completo de fumar, convém sempre fazer alguns reforços para ajudar o corpo a desintoxicar mais rapidamente.

“O objetivo é que deixe de fumar logo na primeira sessão, mas o reforço é benéfico não só pela questão da desintoxicação do organismo, mas também para acalmar o sistema nervoso central”, conlui a terapeuta.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT