Saúde

Um dos maiores hospitais de Londres vai passar a tratar exclusivamente doentes com Covid

O University College Hospital vai transformar anfiteatros e salas de cirurgia em unidades de cuidados intensivos.
Tudo trasnformado.

Anfiteatros, zonas de recobro, unidades de queimados e salas de cirurgias. Todos estes espaços do University College Hospital, em Londres, Reino Unido, estão a ser transformados em unidades de cuidados intensivos para doentes com covid-19, uma vez que o número crescente de casos naquele país está a deixar o sistema de saúde à beira do colapso.

Segundo o jornal britânico “The Guardian”, este que é um dos maiores hospitais da capital do Reino Unido vai converter-se num hospital que atenderá exclusivamente doentes afetados pelo novo coronavírus. A decisão surge um dia depois de o país ter batido todos os recordes desde o início da pandemia, com 55.892 novos casos reportados em apenas 24 horas.

No final do dia 31 de dezembro, havia quase 24 mil pacientes internados com complicações relacionadas com covid-19 em todo o Reino Unido. Os hospitais da capital estão a ficar sem camas e, segundo o jornal, esta parece ter sido a solução encontrada. Uma solução que, refere, espelha a situação de “medicina de desastre” em que está mergulhado o sistema de saúde britânico.

“Em situações normais, um hospital tem 35 doentes em cuidados intensivos, em média. Neste momento, cada hospital tem, pelo menos, 90 pacientes em cuidados intensivos”, explicou ao jornal um médico do University College Hospital, salientando que “a situação agora é muito pior do que a que se viveu em abril ou maio”.

Assim, estão a ser levadas a cabo obras urgentes nos espaços que anteriormente não eram utilizados para o tratamento de doentes com covid-19. Nestes espaços estão a ser colocadas camas, ventiladores e outros equipamentos utilizados em unidades de cuidados intensivos para tratar doentes com complicações provocada pelo novo coronavírus.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT