saúde

Vacina portuguesa contra a Covid-19 pode estar pronta em 2022

Está a ser desenvolvida pela Immunethep e há vários privados interessados, mas faltam apoios.
É a quarta aprovada na União Europeia.

A Immunethep, com sede em Cantanhede, no distrito de Coimbra, está a desenvolver uma vacina portuguesa contra a Covid-19 que espera lançar no mercado em 2022. Ainda assim, faltam apoios do Estado para que o processo seja mais rápido, apesar de existirem privados interessados em investir.

“A meio deste ano poderemos iniciar os ensaios clínicos [depois de os ensaios pré-clínicos que estão ainda a decorrer] e depois, em nove meses, ter os resultados para pedir uma autorização de emergência, tal como foi feito com as vacinas que estão no mercado”, explica Bruno Santos, diretor-executivo da Immunethep, à agência Lusa, citado pelo jornal “Eco”.

Bruno Santos estima que no final do primeiro semestre do próximo ano já seja possível colocar a vacina em circulação. Os apoios do Estado serão fundamentais para que estas datas se confirmem.

“Sem isso, o prazo será muito mais estendido. O atraso na entrada de capital irá refletir-se no resultado de quando a vacina estará no mercado.” Explicou ainda que são necessários cerca de 20 milhões de euros.

“O volume de investimento que é necessário é difícil de mover em privados. Era mais rápido se o investimento fosse público. Tivemos uma pequena ajuda do Portugal2020, em que recebemos 250 mil euros, mas a Pfizer recebeu 250 milhões do Estado americano. Tentar fazer algo, com mil vez menos, é impossível”, continua.

Esta será uma vacina administrada por inalação, que vai diretamente aos pulmões, um dos órgãos mais afetados pelo vírus, e não irá exigir armazenamento a temperaturas negativas ou um profissional para a administrar por via intramuscular.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT