Saúde

Vacinar crianças pode ser a única forma de conter a variante indiana, diz especialista

Epidemiologistas dizem que é quase impossível travar o surgimento de uma nova vaga provocada por esta variante.
Parece o único caminho.

O aumento exponencial que se tem verificado do número de novos casos da variante indiana da Covid-19 — agora conhecida como a variante Delta — faz com que seja quase inevitável enfrentar uma nova vaga do vírus associada a esta estirpe, asseguram os especialistas ouvidos pela “BBC”.

“Há, definitivamente, uma nova vaga a caminho”, disse à emissora britânica um dos epidemiologistas que tem assessorado o governo de Boris Johnson durante a pandemia. Adam Finn, que é membro do Comité de Vacinação e Imunização diz que o país está a assistir a uma corrida entre as vacinas e esta nova variante, que se propaga com maior facilidade e que é mais resistente à vacinação. 

Outro especialista contactado pela “BBC” diz que, face a este cenário, a solução para travar os potenciais efeitos devastadores desta nova vaga poderá passar pela vacinação das crianças contra a Covid-19. Chris Smith explica que as vacinas têm dois objetivos: “proteger os indivíduos da doença e proteger a sociedade das infeções”.

Neste sentido, o epidemiologista diz que para enfrentar a variante Delta, a imunidade de grupo só será alcançada se cerca de 90 por cento da população estiver vacinada. “Isto quer dizer que teremos de vacinar mais pessoas”, defende, propondo que a vacinação contra a Covid-19 passe a contemplar também a inoculação das crianças na faixa etária entre os 12 e os 16 anos. 

Recorde-se que vários laboratórios arrancaram já com testes para a vacinação de menores de 16 anos, mas não há ainda resultados que tenham sido verificados pelos reguladores, pelo que não há qualquer indicação que as crianças possam receber a vacina.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT