Saúde

As vacinas em spray nasal podem ajudar a travar a Covid-19

Vários ensaios clínicos estão a testar vacinas mais simples de administrar — e potencialmente mais eficazes.
São boas notícias

Perante a aparente diminuição das mortes por Covid-19 em todo o mundo, graças à disseminação e eficácia das vacinas, há investigadores que continuam a não querer interromper os avanços neste campo. O objetivo? Encontrar um travão que impeça a disseminação do vírus que parece teimar em continuar a propagar-se a uma velocidade dramática.

O truque, explicam os especialistas ao “The Guardian”, passa por mudar a abordagem. Se as vacinas atuais são boas a preparar-nos para combater as inevitáveis infeções, o que é preciso agora é encontrar uma forma de impedir a infeção.

A maior esperança atual passa pelas vacinas intranasais que permitam promover a imunidade nos locais de entrada do vírus no corpo, as vias respiratórias, o nariz e a garganta. A confirmar-se a eficácia destas vacinas, há ainda outra vantagem: a maior facilidade de administração.

“Se pensarmos no corpo como um castelo, a vacinação intramuscular consiste em proteger as áreas interiores do castelo para que quando os invasores entrem, a imunidade possa impedi-los de tomar o trono”, explica o diretor dos ensaios clínicos na Escola de Medicina do Mount Sinai, Sean Liu, ao diário britânico.

“Mas se treinarmos o sistema imunitário para reforçar os portões do castelo, então não só os invasores terão dificuldade em entrar, mas terão dificuldade em espalhar-se assim que lá entrem”, conclui. Segundo o “The Guardian”, existem em curso mais de uma dúzia de ensaios clínicos para vacinas deste género.

Há, contudo, alguns desafios. Além de terem que produzir uma imunidade durável nas mucosas respiratórias, a administração pode ser ineficaz se a vacina, quando tomada, não for engolida ou for espirrada, expelindo-a e diminuindo a eficácia.

Para este tipo de vacinas, as novas de RNA não são as mais adequadas e prefere-se o método tradicional usado, por exemplo, pela AstraZeneca, que já criou uma vacina em spray para a gripe, a Fluenz.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT