Saúde

Variante do coronavírus detetada na África do Sul parece causar reinfeções

É o que mostra um novo ensaio clínico que envolveu 4.400 pessoas.
Os especialistas dizem que é a mais contagiosa.

As novas variantes da Covid-19 são agora a maior preocupação dos especialistas. Já existem cinco vacinas que parecem ser menos eficazes contra a mutação detetada pela primeira vez na África do Sul e presente em, pelo menos, 40 países. Aparentemente, há mais um motivo de alerta: esta variante parece causar mais reinfeções.

Esta segunda-feira, 15 de fevereiro, o “El País” dá o exemplo de um francês de 58 anos, asmático e que sofreu uma infeção leve por Covid-19 em setembro. Em janeiro deste ano, teve de ser internado e entubado por causa de uma grave reinfeção com a variante sul-africana.

Um recente ensaio clínico, mencionado pelo jornal espanhol, conduzido por Shabir Madhi, um médico da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, estuda precisamente isto. O especialista da África do Sul  avaliou 4.400 pessoas, numa investigação à vacina Novavax contra a Covid-19, e os resultados deixaram os investigadores surpreendidos. 

Cerca de 700 participantes que tinham recuperado da Covid-19 reinfetavam-se ao mesmo ritmo dos que nunca tinham estado contagiados. A equipa de investigadores concluiu que as infeções prévias não protegem contra o vírus nesta variante, que é considerada mais perigosa.

Madhi observa, no entanto, que os casos observados são apenas casos leves ou moderados. “Talvez eles estejam protegidos contra a doença grave produzida pela variante”, diz à publicação espanhola.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT