Saúde

Variante indiana da Covid infetou idosos que tinham recebido as duas doses da vacina

Esta nova estirpe está a contagiar pessoas a um ritmo ultra acelerado e perigoso no Reino Unido.

Esta quinta-feira, 6 de maio, o jornal britânico “The Guardian” avançou que a variante indiana do coronavírus já chegou a toda a Inglaterra e que as autoridades estão assustadas com velocidade a que se está a espalhar. Mas há um cenário pior: registaram-se casos de idosos que, apesar de já terem tomado duas doses da vacina da AstraZeneca, foram infetados e tiveram de ser hospitalizados.

Segundo a publicação, as vítimas não sofreram de doença grave nem se registaram mortes. Foi através do acesso a emails trocados entre as autoridades de saúde que o “The Guardian” soube que existem três variantes em análise que tiveram origem na Índia e que podem ter mutações que ajudam o vírus a fintar a vacinação e as respostas imunológicas do corpo.

Ao mesmo tempo, estas variantes podem tornar o vírus mais transmissível por causa da proteína spike. Em Londres, a capital do país, as cadeias de transmissão estão concentradas em lares de idosos. Entre os vários casos de infetados com esta variante, 15 aconteceram numa residência de seniores na cidade e as vítimas já tinham recebido duas doses da vacina da AstraZeneca.

Ao “The Guardian”, Deepti Gurdasani, epidemiologista da Queen Mary University of London, disse que a variante está a espalhar-se muito rápido e que poderá mesmo vir a tornar-se dominante em Londres ainda no final de maio ou início de junho.

Sob o nome de B.1.617, a variante indiana esconde duas mutações principais, já identificadas noutras variantes — mas com a particularidade de nunca terem sido detetadas juntas. É esta combinação que a torna mais preocupante, até porque já foi detetada no Reino Unido, Estados Unidos e mais recentemente em Israel. Saiba mais no artigo da NiT.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT