Saúde

Varíola dos macacos: já existem 23 casos confirmados em Portugal

Mais nove pessoas testaram positivo ao vírus Monkeypox no País. Estão a ser analisadas outras amostras.
Casos confirmados são todos homens.

Sobe para 23 o número total de casos identificados de varíola dos macacos em Portugal. O anúncio foi feito pela Direção-Geral da Saúde (DGS) nesta sexta-feira, 20 de maio. Aguardam-se resultados relativamente a outras amostras.

Os nove casos confirmados pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) esta quinta-feira, dia 19, juntam-se aos 14 já conhecidos. Os pacientes “mantêm-se em acompanhamento clínico, encontrando-se estáveis e em ambulatório”, refere a entidade em comunicado. Acrescenta: “entre as amostras disponíveis, foi identificada ontem, através de sequenciação, a clade (subgrupo do vírus) da África Ocidental, que é a menos agressiva”.

De modo a levantar as cadeias de transmissão, potenciais novos casos e respetivos contactos, estão em curso inquéritos epidemiológicos das situações suspeitas que vão sendo detetadas.

varíola dos macacos, como é conhecida, é uma patologia viral, geralmente transmitida pelo toque ou mordida de animais selvagens portadores do vírus Monkeypox, como macacos e roedores na África Ocidental e Central. O período de incubação da doença é geralmente de 6 a 13 dias, mas pode variar entre 5 e 21. Os primeiros sintomas incluem febre, dores de cabeça, dores musculares, inchaço dos nódulos linfáticos, arrepios e cansaço extremo.

Esta enfermidade é em muitos aspetos semelhante à varíola, erradicada em 1979 — mas menos transmissível e menos mortal. Por isso, o risco para a saúde pública é considerado baixo, mas, em alguns casos, a doença pode evoluir para sintomas mais graves.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta a interrupção da vacinação contra a varíola humana em 1980 como um dos motivos que justificam o surto de infeções que se tem vindo a registar em muitos países.

A doença no mundo

Nesta sexta-feira, o ministério espanhol de saúde, citado pelo “El País”, também confirmou novos casos de Monkeypox, aumentando o número de infeções conhecido de 7 para 30, tornando-se o país com maior número de ocorrências. Todos as infetados são de Madrid.

A maioria dos 23 novos casos — todos registados em Madrid — é composta por jovens do sexo masculino, com uma média de idade de 35 anos, que contraíram a doença após terem relações sexuais com outros homens. Embora a varíola não seja considerada uma doença sexualmente transmissível, pode ser transmitida por contacto próximo através de fluidos ou grandes gotículas de saliva. 

A países como Itália, Suécia e Estados Unidos, que já tinham identificado pelo menos um caso, juntou-se Alemanha e França.

O Centro Europeu de Controlo de Doenças Europeu (ECDC) emitiu uma nota com recomendações para travar o contágio do vírus. A Associação ILGA Portugal — Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo já se mostrou preocupada com discriminação a gays por causa da varíola dos macacos estar a ser associada à comunidade homosexual.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT