Saúde

Varíola dos macacos: Portugal avança com vacinação preventiva contra o vírus

Nos últimos dois meses já foram vacinadas contra a Monkeypox mais de 400 pessoas consideradas contactos de risco.
É o próximo passo.

A vacinação contra a varíola dos macacos arrancou a 16 de julho com a administração do fármaco aos primeiros três contactos próximos de casos confirmados. Até à data já foram vacinadas 437 pessoas contra a Monkeypox. Numa nota publicada esta quinta-feira, 15 de setembro, a Direção-Geral da Saúde (DGS) revela que vai avançar com a inoculação de doses reduzidas para abranger mais pessoas e que está a rever os critérios para a vacinação se tornar preventiva.

A vacina tem sido apenas administrada a pessoas que tiveram contactos de risco e o objetivo futuro é inocular preventivamente outros grupos que serão definidos pela DGS. Poderão abranger os profissionais do sexo, as pessoas que fazem PREP — Profilaxia Pré-Exposição ao VIH e profissionais de saúde.

A autoridade de saúde refere que são consideradas contactos próximos as pessoas que referem ter sido expostas diretamente a lesões cutâneas, mucosas, fluidos corporais (sangue, urina, fezes, vómito, expetoração, entre outros), utensílios ou objetos contaminados, ou que partilhem um espaço físico que não garanta afastamento superior a um metro de distância com caso suspeito, provável ou confirmado, sem proteção adequada.

No caso dos profissionais de saúde considera-se contacto próximo quando este ocorre sem a utilização de equipamento de proteção individual indicado ao tipo de exposição de acordo com as medidas de prevenção e controlo de infeção.

Em relação às grávidas que estão infetados com o vírus da varíola dos macacos, a autoridade de saúde refere que têm de ser seguidas em consulta de alto risco de obstetrícia. A DGS admite ainda que “pode justificar seguimento em ambulatório se a situação clínica for estável”. No caso de haver agravamento de sintomas a grávida deve ser internada.

No último relatório publicado pela autoridade de saúde, esta quinta-feira 15 de setembro, Portugal conta com 908 casos confirmados, dos quais oito são mulheres.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT