Saúde

Depois do podcast, Vera Kolodzig lança plataforma online com cursos de bem-estar

Kológica: a lógica com que a atriz vê o mundo. A nova plataforma é pensada no desenvolvimento pessoal — 15 minutos de cada vez.
Kológica é a nova plataforma de cursos online de Vera Kolodzig.

Vera Kolodzig é uma das caras mais conhecidas no mundo da ficção em Portugal. Já fez de quase tudo em televisão: novelas, séries e até apresentação. Fez personagens que ainda hoje recordamos, como a Zé de Espírito Indomável. Neste momento está a gravar a série “O Clube”, onde interpreta o papel de uma acompanhante de luxo num clube noturno. 

Durante a pandemia decidiu aventurar-se numa nova área: os podcasts. Em 2020 começou o Kológica, onde fala de tudo um pouco, com o objetivo de levar os ouvintes a procurarem um estilo de vida mais feliz. Em Outubro deste ano decidiu dar mais um passo no digital e criou a sua própria plataforma de cursos online sobre bem-estar e desenvolvimento pessoal — a Kologica.com.

Mal entra na nova plataforma da atriz, a primeira frase que se lê é a pergunta: “Qual é a tua kológica de vida?” Foi isso que tentámos descobrir nesta entrevista da NiT à atriz Vera Kolodzig.

Como surgiu o interesse pelo desenvolvimento pessoal?
Não é uma coisa que acontece de um dia para o outro. É um interesse que tenho há algum tempo e que está relacionado com desafios que tive que enfrentar. Entretanto procurei ajuda e acabei por me interessar por várias áreas que me interessam bastante. Comecei por fazer psicoterapia e depois descobri outras terapias. Senti mesmo grandes melhorias na minha vida. Pensei que, já que tinha este alcance público por causa do meu trabalho como atriz, porque não usar esta voz de uma forma mais positiva e dar a conhecer às pessoas estas minhas novas áreas de interesse. Então surgiu a ideia de começar o podcast. Entretanto veio a pandemia e comecei a fazer vários cursos online, de coaching, de saúde integral e de comunicação não violenta. Estou mesmo muito apaixonada por esta área do desenvolvimento pessoal.

O podcast aborda que temas?
A intenção do meu podcast é levar as pessoas a mudar a forma como pensam, para levarem uma vida mais positiva e para serem mais felizes. Costumo dizer que Kológica — o nome do podcast — é um bocadinho a minha lógica de vida (que é este raciocínio positivo). Entrevisto várias pessoas — psicólogos, coachs e até terapeutas não convencionais — que passaram por desafios, como ansiedades ou depressões, e que os ultrapassaram de uma forma positiva. Converso com essas pessoas para que, de alguma forma, possa ajudar e inspirar quem ouve e se identifica com estas histórias.

Como foi passou do seu percurso pessoal, ao podcast e agora a uma plataforma digital?
O podcast começou em 2020. Entretanto, no início de 2021, comecei a ser convidada para dar algumas formações e pensei imediatamente que não tinha nada para ensinar. Mas acabei por aceitar o desafio e dei uma primeira aula numa plataforma de cursos online. Mais tarde acabei por desenvolver um curso para a Seekers Club, que é também uma plataforma de cursos online, e chegou um ponto em que pensei: ‘porque não ser eu a criar a minha própria plataforma?’. Criar uma rede de pessoas que conheço por causa do podcast e têm muito para dizer e para ensinar. Foi assim que surgiu a ideia. Pensei em dar o passo seguinte, o de agarrar nestas pessoas e criar o site para que qualquer um possa aprender da mesma forma que aprendi, fazendo os cursos. 

Como é que chegou aos formadores dos cursos?
Algumas conhecia da minha própria experiência pessoal porque também procuro terapias alternativas e psicólogos. E outras foram chegando por causa do podcast. Fui recebendo muitas mensagens de pessoas que tinham muitos ensinamentos para passar e que agora têm o seu próprio curso na Kológica.

A plataforma tem foca cinco temas principais. Como foram escolhidos?
É apenas uma questão de organização porque toda a plataforma é de bem-estar e desenvolvimento pessoal. Mas, para arrumar tudo, decidi criar cinco categorias: autoconhecimento, corpo, alimentação, ambiente e relacionamentos. Dentro destas cinco categorias entram os cursos e as sessões relacionadas com cada um dos temas. Os cursos são conteúdos mais longos e são todos gravados portanto não há interação direta (para já). Todos têm uma duração entre três a seis horas, divididos em pequenos vídeos de 15 minutos. As sessões funcionam como um shot de informação ou uma palestra. Ou seja, é um tema específico que é debatido durante hora, no máximo.

E o podcast ainda continua?
Sim, continua e vai continuar. Agora vou reduzir um bocadinho a frequência dos episódios, passando de um episódio semanal para um quinzenal. Vou focar-me mais na plataforma: há muito trabalho para fazer. No entanto, não quero mesmo acabar com o podcast. Não só pelo que levo de bom às pessoas: estas conversas também funcionam para mim. A verdade é que depois de cada uma sinto que saio um bocadinho mais rica, que aprendo qualquer coisa. Cada pessoa que trago ao podcast, sinto que também contribui muito para o meu próprio bem-estar.

Em relação à plataforma, quais os cursos que já estão disponíveis?
Neste momento temos uma sessão relacionada com sustentabilidade e outra com açúcar. Depois tem o curso de alimentação saudável para crianças e vamos também ter alimentação macrobiótica. A Leonor Buzaglo dá o curso de ioga para a ansiedade. Sou praticante de ioga e ajuda-me imenso — e é uma das coisas que quero muito passar para os outros. Temos ainda cursos sobre o divórcio positivo, organização intencional em casa e agilidade emocional. Há uma série de outros temas que estamos a trabalhar para lançar brevemente.

O facto de os cursos serem gravados é uma vantagem?
Confesso que, da minha experiência dos cursos online que fiz, um dos maiores desafios era exatamente esse, o de cumprir horários. Porque que os cursos online eram às 19 horas e a essa hora não podia porque estava a dar banho ao meu filho. Para mim resulta melhor se os cursos forem gravados para poder assistir quando e onde quero. E também não quero ser obrigada a ter uma subscrição que me obrigue a ter de consumir uma série de conteúdos que não quero. Posso ir à Kologica.com, escolher o conteúdo que quero e pagar só esse curso. Isso para mim, como consumidora, também era importante. 

E quanto a projetos para o futuro da Kologica.com?
Também pensamos vir a ter uma loja online com produtos relacionados com os cursos. E, talvez daqui a um ano, conseguir passar para o regime presencial, para deixar de ser só uma plataforma online. Sendo que acho que, por enquanto, está ótima assim. Estamos a começar a criar esta rede e depois vamos ver o que acontece a partir daqui.

Os formadores já se conheciam entre si?
Uma coisa muito interessante que aconteceu com o lançamento da Kologica.com foi que toda a gente se conheceu pela primeira vez. Na verdade, sinto que funciono como uma curadora do desenvolvimento pessoal. Ou seja, vou buscar as pessoas e reúno-as numa plataforma online. Sou uma agregadora de formadores nesta plataforma. No dia do lançamento, de repente, caiu-me a ficha: estes formadores nunca se tinham conhecido. Quando dei por mim estavam a falar uns com os outros e a trocar ideias. Foi mágico e muito especial. Adorava que isso pudesse vir a acontecer não só entre formadores, mas também com os alunos. Gostaria de criar uma espécie de comunidade onde pudéssemos trocar ideias sobre as nossas aprendizagens. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT