Turismos Rurais e Hotéis

Crítica: o turismo rural alentejano que teima em ser (quase) perfeito

O TEIMA tem um impressionante 9,8 na Booking mas será que corresponde às expectativas?

Foto de TEIMA

9,8. A nota da Booking impressiona pela proximidade ao redondo (e perfeito) 10. Mas quem nunca deu de caras com um fiasco mascarado por votações online de credibilidade duvidosa? Spoiler alert: o TEIMA cumpre com as promessas de um paraíso em pleno Alentejo e garante-se aqui, em primeira mão, que as belíssimas imagens não fazem justiça à beleza natural do local, vantagem que seria insuficiente sem o esmero e atenção ao pormenor do staff.

É precisamente no extremo cuidado com os detalhes que reside a magia deste pequeno turismo rural na costa Vicentina. O elogio está feito e é por isso que se impõe começar pela exceção à regra. Não é fácil dar com este monte a um par de quilómetros de Odeceixe, da serpenteante estrada nacional até ao trilho empoeirado, que conduzem ao discreto portão do TEIMA. E se se deixar levar pelo GPS, tenha cuidado. As coordenadas falham o alvo por uns quantos metros, e acabam por conduzi-lo até ao terreno do simpático (e paciente) vizinho. Feita a inversão de marcha num terreno pouco dado a carros citadinos, chega-se finalmente ao destino.

A chegada aconteceu a meio da tarde, que traz sempre uma surpresa aos hóspedes: um lanche composto por um sumo natural — da limonada com gengibre e hortelã ao de frutos vermelhos — e um bolo caseiro, que é levado até si todos os dias da estadia, onde quer que esteja, no quarto, na piscina ou a relaxar nas cadeiras do lago. Esta não é a única oportunidade que tem para provar as frutas e os produtos locais. O pequeno-almoço traz sempre uma ou outra novidade, seja nas compotas, nos sumos ou nos pratos de fruta. A aposta é clara: pouca variedade mas muita qualidade em cada uma das opções, até porque é tudo feito no momento, tanto quanto é possível.

Esta proximidade e atenção aos detalhes está visível em todo o lado, e é impossível falar do TEIMA sem reservar um elogio a Luísa e Paulo, os proprietários que estão sempre por perto, com mil e uma sugestões no bolso, sempre prontos para que se foque apenas em relaxar.

A mais recente expansão deste turismo rural ergueu um novo edifício com quatro quartos — são seis no total —, uma sala e uma recepção.

Entrando no quarto, é quase impossível tirar os olhos da cama, assente num enorme e rústico estrado de madeira. São espaçosos, têm tudo o que é preciso para combater o calor alentejano (ar condicionado ou uma longa ventoinha) e estão decorados com extremo bom gosto. Nas paredes, há ainda pequenas peças cuja origem só é possível descobrir depois de alguma investigação: são moldes de uma antiga fábrica, trazidas por Luísa para abrilhantar a decoração personalizada. Infelizmente, todo este esforço empalidece quando se ousa a sair, varanda fora, em direcção à piscina.

Aquela que foi uma adição tardia ao TEIMA — o espaço já funcionava com dois quartos, antes de ser construída a piscina que viria a tornar-se na imagem de marca deste turismo rural — é demasiado tentadora para resistir a um mergulho. Do deck de madeira, seja nas espreguiçadeiras ou nos gigantescos pufes, avista-se o resto da propriedade: o arvoredo, a recepção, de onde sai sempre uma agradável e discreta banda sonora, e o recinto dos burros, também eles um dos símbolos do turismo rural. Se se fartar da piscina, pode sempre dar um salto ao pequeno lago, casa de várias dezenas de patos e o ocasional ganso.

O TEIMA não é um destino para todo o tipo de hóspedes. Para que a experiência seja tão revigorante quanto pretende ser, é preciso que leve consigo o espírito adequado. O conselho é dado por um convicto citadino com um terror crónico a todo o tipo de bicharada. Ao fim de um par de dias, até as abelhas parecem um simpático convidado.

Situado a meio caminho entre Odeceixe e a Zambujeira do Mar, o TEIMA recata-se no monte mas dá acesso fácil a dezenas de praias. Levou os miúdos e quer um areal grande para que eles possam brincar? São apenas 10 minutos de carro até à praia do Carvalhal. Se é um adepto do surf, pegue na prancha e dê um salto até à praia da Arrifana ou vá conhecer a da Amoreira, onde a ribeira de Aljezur encontra o mar. Depois, é aproveitar tudo o que o Alentejo tem para oferecer: peixe e marisco fresco, o ocasional porco preto e um cheirinho de medronho.

O monte, que foi batizado por Paulo, conta a história dos proprietários, da viagem da urbana Lisboa até ao Alentejo rural e de um terreno que teimosamente, parecia querer fugir-lhes. O final foi feliz e ainda bem, porque transformaram o TEIMA num daqueles sítios que perduram na memória. A prova está nas centenas de comentários que, também teimosamente, insistem em manter a invejável nota quase perfeita desde a abertura, em 2014. E não será esta crítica a manchar o registo invicto do TEIMA, até porque de lá, trouxemos uma certeza: queremos voltar.

FICHA TÉCNICA

  • Vale Juncal, S. Teotónio, Odemira
    Alentejo
email
info@teima.pt
site
www.teima.pt
facebook
www.facebook.com/Teimaalentejosw/
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
entre 151€ e 250€
AMBIENTES
familiar, praia, romântico

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT