Na cidade

Estes é a lista dos 10 países mais felizes do mundo (onde Portugal não está)

O Relatório Mundial de Felicidade já saiu e considera os efeitos da pandemia. O país em destaque é um habitué: a Finlândia.
O já clássico vencedor.

Se desafiar um português a indicar o melhor país do mundo a resposta será, provavelmente, apenas uma: Portugal. Mesmo com defeitos ou dificuldades, inclusive para quem viaja e corre mundo, é difícil imaginar outra nação que supere a nossa combinação de povo, clima, cultura, história, luz, gastronomia e geografia.

Porventura, já será mais difícil encontrar um compatriota que identifique o nosso País como o mais feliz do mundo. E os rankings dizem isso mesmo: Portugal não é, sequer, uma das dez nações com essa classificação ou onde é melhor viver, pelo menos nos moldes e critérios utilizados por um dos mais reputados relatórios para o definir.  A classificação anual, com base em dados da Gallup, que revela quais os 10 países com o maior índice de felicidade, foi divulgado esta semana: e o vencedor é já um repetente.

À pergunta o que torna um país feliz, o World Happiness Report responde com critérios como o acesso a cuidados de saúde de qualidade, uma elevada esperança de vida, estabilidade financeira, liberdade, interligação social ou uma combinação de todos estes fatores — entre outros.

Segundo a “Travel + Leisure“, este relatório mundial de felicidade classifica e ordena, há nove anos, os países consoante estes critérios, baseando-se numa ampla variedade de dados, para depois determinar o lugar de cada estado na escala da felicidade — ou aquilo que o relatório chama de “avaliações da vida média nacional”.

A revista adianta que, além de levar em conta os fatores comuns aos anos anteriores, este ano considerados também os dados relativos aos efeitos da Covid-19 na qualidade de vida das pessoas — desde a saúde mental e interação social até à segurança no emprego e à resposta dos governos à pandemia. 

Certo é que a grande maioria dos estados deste top dez mundial de felicidade ficam na Europa. E o grande vencedor, a Finlândia, está no lugar cimeiro pelo terceiro ano consecutivo.

De acordo com o relatório, a Finlândia pode ter invernos frios e escuros, mas o estilo de vida do país é claramente adequado para aos seus cidadãos, fatores que lhe voltaram a garantir a primeira posição no Relatório Mundial de Felicidade,

Com uma pontuação de 7889, o país destaca-se sobretudo em fatores como o apoio social, a expectativa média de uma vida saudável, liberdade e percepção de corrupção e distopia. Além disso, oferece aos seus habitantes e visitantes o acesso à água,  dispões de vasta vida selvagem com parques nacionais e estações de esqui, sem esquecer o poder de atração da região da Lapônia, “lar do povo Sami, das renas e das auroras boreais”.

De acordo com um artigo da AFP do início deste ano, o sucesso repetido da Finlândia nas classificações anuais de felicidade tem tido um efeito bola de neve nos últimos anos: tem ajudado à sua reputação internacional, impulsionando o turismo e os negócios.

Carregue na galeria para conhecer os restantes países que fazem parte da lista dos dez estados mais felizes do mundo.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

Novos talentos

AGENDA NiT