na cidade

Ligação fluvial entre Lisboa e Seixal vai ser interrompida por mais de 40 dias

O anúncio feito pela Transtejo não agradou ao autarca da cidade que exige a suspensão das obras que arrancam esta segunda-feira.
Durante mais de um mês não haverá barcos.

A partir desta segunda-feira, 26 de outubro, não haverá ligação fluvial entre Lisboa e o Seixal. A Transtejo informou esta quinta-feira, dia 22, que o cais da Margem Sul irá sofrer obras que não são compatíveis com a atividade normal de transporte de passageiros que ali se verifica. O autarca da cidade exige a suspensão dos trabalhos até que sejam criadas alternativas que não deixem a população prejudicada.

“É imprescindível assegurar a segurança da população”, explicou Joaquim Santos, presidente da Câmara Municipal do Seixal, à Agência Lusa, aqui citada pelo “Observador”. Refere que o transporte alternativo de passageiros através de autocarros do Seixal até Cacilhas, em Almada, coloca em risco quem se quer deslocar, maioritariamente em trabalho, até Lisboa.

“Obrigar os utentes a despenderem ainda mais tempo nos transportes públicos para se deslocarem diariamente não é solução”, continuou. A Transtejo, a empresa responsável por esta ligação fluvial, ainda não respondeu a esta solicitação do autarca que garantiu que esta segunda-feira vai estar em frente do ministério do Ambiente e Transição Energética, o responsável pelos transportes urbanos.

A Transtejo prevê que a duração da obra seja de 45 dias, período no qual não haverá embarque e desembarque naquele cais. Será assegurado o transporte rodoviário de passageiros até ao terminal de Almada.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT