Miúdos

Diana e Roma, os irmãos ucranianos que são um fenómeno mundial no YouTube

Somam 2,5 mil milhões de visualizações mensais. Têm apenas oito e nove anos e uma fortuna avaliada em 100 milhões de euros.
Têm apenas oito e nove anos

Diana tem oito anos. O irmão, Roma, tem nove. Apesar da tenra idade, são estrelas do YouTube desde bebés. Na grande lista dos canais mais seguidos na plataforma, apresentam-se no sexto lugar, com mais de 100 milhões de seguidores. Os vídeos coloridos e animados são exibidos nos ecrãs de quase todos os miúdos, um pouco por todo o mundo.

A saga começou a 13 de maio de 2015, data em que Olena Kidisyuk decidiu partilhar no YouTube um vídeo da pequena Diana, ainda no carrinho de bebé, a brincar com uma folha. Rapidamente começou a surgir acompanhada pelo irmão nos vídeos, onde surgem a brincarem em parques ou a abrirem caixas de brinquedos.

Não foram necessários grandes artifícios para ir conquistando, aos poucos, milhares de seguidores. Aquilo que era para ser apenas uma coleção de vídeos e recordações dos filhos, tornou-se numa profissão a tempo inteiro para Olena e Volodymyr. O que era visto apenas pelos familiares, agora reúne mais de 2,5 mil milhões de visualizações mensais. Na categoria destinada aos miúdos da plataforma, é o segundo canal mais visto, apenas atrás de Cocomelon.

Diana e Roma têm agora a companhia do mais novo membro da família, o bebé Oliver. O sucesso mudou-lhes a vida. Em 2019 deixaram a Ucrânia e mudaram-se para o Dubai, onde trabalham com uma empresa que os ajuda com a promoção dos vídeos — uma estratégia adotada por muitos canais caseiros que se transformaram em sucessos mundiais.

“Tudo começou como um hobby. Fazíamos vídeos dos miúdos para que mais tarde pudéssemos recordar os momentos da sua infância. Escolhemos pôr os vídeos no YouTube para nos certificarmos de que não os perdíamos”, explica Volodymyr à “DigitalStudioMe”. “Depois começámos a ver vídeos de outros miúdos, que estavam a ser muito vistos, e começámos a tentar adaptar os nossos conteúdos ao que faziam, para tentarmos chegar a mais pessoas.”

As empresas que ajudam a promover canais amadores repararam no potencial dos miúdos ucranianos e fizeram uma proposta de parceria. Nascia assim o Kids Diana Show, o novo nome oficial do canal.

“Os vídeos são positivos porque as crianças aprenderam a comportar-se de forma natural, nunca tiveram que decorar textos ou ensaiar”, frisa a mãe, Olena. “Gravamos duas vezes por semana, durante algumas horas. Outros dias, a Diana e o Roma vivem a sua vida normalmente, vão à escola, praticam desporto, divertem-se. Olham para isto como diversão, não como trabalho, e é por isso que gostam tanto de o fazer.”

Os pais rapidamente perceberam que este era o negócio familiar no qual valia a pena investir. Deixaram os seus empregos a tempo inteiro e tornaram-se guardiões do canal. Quando decidiram, em conjunto com os parceiros, tornar os conteúdos acessíveis a mais línguas e países, o canal explodiu a nível de popularidade.

Os vídeos de Diana e Roma são agora traduzidos em duas dezenas de idiomas e contam com a colaboração de uma equipa de mais de 50 pessoas, entre edição, criação de cenários, tradução e distribuição. No entanto, continuam a ser os pais que imaginam muitas das histórias que dão origem aos vídeos que acumulam milhões de visualizações.

Os conteúdos multimédia não são, contudo, o único braço armado deste negócio familiar. Em 2020, a família lançou a marca “Love, Diana”, sob a qual lançou jogos para telemóveis, uma série animada e diversos brinquedos.

Por questões de privacidade e segurança, a família tende a não divulgar muita informação sobre si. Talvez por isso ninguém saiba muito bem se, afinal, vivem atualmente em Miami, nos Estados Unidos.

Diana e Roma, agora mais crescidos, começam a ter cada vez mais influência direta no rumo que o canal leva, nas histórias, nos cenários. “Prestamos sempre atenção às ideias e sugestões deles. Os seus desejos estão sempre em primeiro lugar e nunca os forçamos a fazerem nada”, explica a mãe. “Se quando crescerem, decidirem que querem fazer outra coisa e terminarem a sua carreira no YouTube, não nos importamos nada com isso.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT