Na cidade

12 coisas para fazer à borla este fim de semana em Lisboa

Passeios, exposições, concertos ou feiras. O que não faltam são sugestões para os próximos dias — de preferência ao lado das mães.
12 sugestões para o arranque do mês.

Depois de um mês tão bonito e revolucionário como abril, a fasquia para maio está alta. Por isso mesmo, está na altura de apostar no melhor que a cultura e lazer lisboetas têm para oferecer, naquele que será o primeiro fim de semana do mês. Para já, as inúmeras exposições, feiras, concertos, passeios e mercados indicam bons presságios — e todos eles gratuitos e para todos os gostos. 

O icónico Lounge Lisboa, um dos spots lisboetas mais conhecidos, celebra o seu 25.º aniversário com uma festa já neste sábado. “Vamos ter o beco da moeda por nossa conta, com um palco ao ar livre, muitos concertos durante a tarde e ainda mais DJ pela noite dentro”, pode ler-se no seu Instagram. Filipe Sambado é uma das convidadas para animar a festa. 

Se o mood apontar para uma tarde cultural à beira-rio, o destino é o MAAT. Como se sabe, o primeiro domingo do mês é sinónimo de entrada gratuita no museu, onde poderá aproveitar para conhecer a mais recente exposição “Mar Aberto”. Também o CCB terá um fim de semana dedicado a concertos, teatros, conferências, no âmbito do “FeLiCidade”. 

Como não poderia deixar de ser, a Feira da Ladra é sempre uma opção segura para quem gosta de arranjar pechinchas. Desde roupa, a velharias e artigos vintage, quem sabe se não encontra aqui um presente original para o Dia da Mãe.

Há ainda passeios, concertos e (mais) exposições a não perder. Confira abaixo as sugestões gratuitas da NiT para fazer no primeiro fim de semana de maio. 

Sábado, 4 de maio

25 Anos Lounge Lisboa 

Trata-se do aniversário de um dos mais populares bares da noite lisboeta. Para celebrar, está organizar uma festa especial entre as 15 e as 4 horas da madrugada. O evento abre com o concerto da banda de rock portuguesa “Chinaskee”, logo pelas 16 horas. Pelas 17h15 acontece a apresentação de “Tormenta” e às 18h30 atua Filipe Sambado, compositora e produtora de música portuguesa que mistura pop com géneros musicais mais tradicionais. A onda de concertos termina com a atuação da dupla brasileira Venga-Venga, às 19h45. O resto da noite fica ao critério dos vários DJs que animam a festa. 

Exposição “Mono no Aware”

Kruella d’Enfer explora a nostalgia, e em simultâneo, as esperanças e promessas futuras, aceitando os novos ritmos e perspetivas sobre o mundo. A exposição exibe peças feitas através de diversas técnicas, em cerâmica, papel machê e uma banda sonora original. Pode ser visitada até dia 5 de maio, no Mono Lisboa, em Penha de Franca, entre as 15 e as 19 horas. 

Festival “FeLiCidade”

Festa e Festival, Liberdade e Língua, Cidade sem muros nem ameias. Assim surgiu o nome do festival FeLiCidade. No ano em que se assinalam os 50 anos da Revolução dos Cravos, o evento promove uma celebração e um questionamento da língua como casa. O festival está assente no diálogo entre os países que utilizam a língua portuguesa, explorando as suas diversas disposições, desconstrução e possibilidades. Na literatura, na música, no cinema, em cena, o festival terá lugar nas mais diferentes formas no CCB, dias 4 e 5 de maio, das 11 horas à 1 hora da manhã.

“O Meu Bairro a Pé”

A Câmara Municipal de Lisboa promove a caminhada “Entre lavadeiras, chapeleiros e amoreiras”, na freguesia de Santa Clara. Segue-se um piquenique na Quinta Alegre, às 15 horas. A iniciativa pertence “O Meu Bairro a Pé” vai organizar passeio culturais nas freguesias de Santa Clara, Lumiar e Marvila, para dar a conhecer a história e memórias destas localidades, durante maio, junho e julho. A participação é gratuita, mas é necessária uma inscrição prévia em 21 817 0593 ou visitas.comentadas@nullcm-lisboa.pt. 

Feira da Ladra 

Artigos usados, velharias, colecionismo, antiguidades e artesanato. O clássico que nunca é demais, no Campo de Santa Clara. A suas raízes remontam ao século XIII, tratando-se, por isso, da mais antiga e conhecida feira da cidade. Embora não exista acordo sobre a origem do seu nome, a tese mais reconhecida é que o termo  “Ladra” se deve ao facto de aí se venderem objetos roubados. De manhã ao fim da tarde, terá muito por explorar. 

Festival “Música Viva”

Maio marca o regresso do Festival Música Viva, que celebra a sua 30ª edição este ano. Com organização da Miso Music Portugal, o evento pretende fomentar e divulgar a criação musical contemporânea, dando uma dimensão internacional à música portuguesa. De 3 a 12 de maio, a zona da Ajuda acolhe um total de 13 concertos, sendo mais de metade de criadores nacionais. Os programa divide-se no Picadeiro Real — Museu dos Coches, no O’culto da Ajuda e na Igreja Nossa Senhora da Ajuda.

“Analógica”

Trata-se de uma feira do disco e mostra de editoras independentes que reúne labels, lojas de músicas e especialistas de equipamento áudio de Lisboa e arredores. O Mercado de Arroios irá acolher nas suas bancas vários projetos, de 3 a 5 de maio, naquela que é uma celebração da música em todas as suas formas e formatos. 

Festival “Jardins Abertos”

De 4 a 26 de maio o festival Jardins Abertos dá a conhecer os vários espaços verdes da capital. Em todos os fins de semana de maio, jardins secretos, coleções raras, projetos comunitários, hortas, claustros e palácios revelam-se através de uma programação desenhada a pensar nos cinco sentidos. Nos dias 4 e 5 de maio, o Jardim da Procuradoria Geral da República — Palácio Palmela vai ser o ponto de interesse a conhecer. Há visitas guiadas às 11 e 15 horas e ainda às 16h30, sábado, dia 4. Não é necessária inscrição prévia, pois o acesso é feito por ordem de chegada. A lotação máxima é de 30 pessoas. 

Domingo, 5 de Maio

Exposição “Mar Aberto”

O primeiro domingo de cada mês significa entrada gratuita no MAAT. É a oportunidade ideal para conhecer o trabalho de Nicolas Floc’h, que parte da fotografia subaquática à descoberta de imaginários artísticos. Com curadoria de João Pinharanda, esta exposição resulta de uma residência que Floc’h fez no Verão de 2022, a convite do MAAT. Pode-se visitar das 10 às 19 horas. 

Exposição “10 Dias que Abalaram Portugal”

O Mercado do Forno do Tijolo recebe a exposição do Arquivo Ephemera, onde os testemunhos da imprensa ilustram o início da democracia, logo após a revolução. Foi neste período de 10 dias que os partidos clandestinos passaram à legalidade, novos partidos foram constituídos, os presos políticos foram libertados e o caminho para as eleições livres se tornou realidade. A exibição está disponível até 26 de maio, das 11 às 19 horas.

Exposição “Ventos de Liberdade”

Trata-se de um conjunto de imagens inéditas que traduzir o olhar de dois fotojornalistas estrangeiros, que acompanharam o pulsar do 25 de Abril. É a “Revolução de Abril pelo olhar de Ingeborg Lippmann e Peter Collis”, correspondentes do The New York Times e The Times, respetivamente. Encontra-se na Fundação Oriente, no edifício Pedro Álvares Cabral, Doca de Alcântara. Está disponível das 10 às 18 horas, até 19 de maio. 

Mercado “Crafts and Design”

No primeiro fim de semana de cada mês, o Jardim da Estrela recebe o mercado Crafts and Design, composto de ilustrações, joalharia, moda, decoração e cerâmica, entre outros. Todos os produtos que aqui se encontram têm o objetivo de promover criadores nas áreas do design e do artesanato contemporâneo, apresentando projetos de autor. Assim, todos os artigos presentes são concebidos de raiz e têm uma identidade própria e marcante.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT