Na cidade

5 perguntas que toda a gente deve fazer antes de adotar um animal de estimação

A companhia de um animal de estimação é única, mas a decisão da sua chegada a um novo lar tem de ser muito bem pensada e rigorosa. É uma questão de responsabilidade.
São os nossos melhores amigos.

Quem tem um animal de estimação sabe bem como a sua companhia foi importante e imprescindível para aguentar os dias difíceis dos períodos de isolamento e distanciamento social que vivemos no último ano. Ter um animal de estimação por perto é ter a certeza de que, aconteça o que acontecer, teremos sempre uma ligação muito especial e um afeto incalculável. Na verdade, e de acordo com um estudo realizado pela Human Animal Bond Research Institute para a Royal Canin, mais de 80 por cento dos participantes que tinham animais revelaram que estes os ajudam a sentir-se mais acompanhados. Mas antes de adotar um animal de estimação, há muitos fatores que devem ser ponderados. 

Ainda que cada vez mais pessoas gostem de acolher um animal no seu lar, e que este se torne rapidamente um elemento da família, há que garantir todas as condições necessárias para o seu bem-estar, a adoção ou chegada de um gatinho ou de um novo cachorrinho a casa. Isto porque, quando chega o verão, sabemos que o número de animais que são abandonados na rua ou deixados em instituições aumenta em larga escala.

Assim sendo, antes de adotar um animal, deve ter em consideração vários fatores. Até porque esta decisão traz benefícios ao nível da saúde física, mental e social, principalmente nas crianças e pessoas idosas. A chegada de um gato ou cachorro pressupõe momentos de adaptação e múltiplas mudanças a ter em conta. 

Agora que chegámos a esta altura do ano, existem questões que deve colocar a si próprio antes de levar um animal de estimação para casa. Deve considerar estas cinco perguntas essenciais antes de adotar um animal de estimação.

Porque é que quero um animal de estimação?

Os motivos podem ser vários, como a relação de proximidade que se cria ou a companhia que nos fazem, mas o mais importante a lembrar são as responsabilidades e obrigações evidentes de cuidar de mais um membro da família. Na hora de planear acolher um animal, é crucial que todas as pessoas da nossa casa estejam de acordo com a decisão — e que esta seja ponderada e discutida em família mais do que uma vez. Os animais de estimação podem ser companheiros extraordinários para as famílias.

Tenho tempo suficiente para ter um cão ou um gato?

São várias as atividades diárias necessárias quando se tem um animal de estimação a nosso encargo. Falamos de passeios, exercícios de educação e socialização, brincadeiras, jogos e cuidados básicos de higiene. Por isso, há que garantir uma gestão de tempo eficaz para incluir estas tarefas na rotina de todos os dias.

Tenho condições financeiras para ter um animal de estimação?

Viver com um animal de estimação exige um investimento contínuo, não só na compra de alimentos e cuidados de higiene, mas também nas visitas periódicas ao médico veterinário ou no acesso a outros tratamentos ocasionais. Há também que considerar, por exemplo, a identificação obrigatória e registo, ou ainda outras despesas adicionais que podem surgir, como seguro contra terceiros ou seguro de saúde.

Posso e consigo assumir um compromisso a longo prazo?

A esperança de vida média dos animais de estimação está entre os dez e os quinze anos, dependendo da espécie que se pretende adotar. Como tal, este é um compromisso a longo prazo, com cuidados que não podem nunca ser esquecidos: bem-estar, saúde, alimentação, educação, entre outros.

Que animal se adequa melhor ao meu estilo de vida?

A tutoria de um animal de estimação pode representar uma relação longa e gratificante, por isso, certifique-se de que a sua casa e o seu estilo de vida atendem às necessidades de saúde e segurança do seu novo animal de estimação. Pense na dimensão e formato da sua casa, bem como no seu estilo de vida, e tenha em consideração as características do animal de estimação que acha ideal para si. No caso específico dos cães, é preciso ter em conta a sua necessidade diária de exercício. Mesmo os de pequeno porte têm várias características e necessidades que têm de ser consideradas no momento da adoção.

Após ter uma resposta a todas estas perguntas, analise a informação e tente perceber todos os traços de personalidade e particularidades do animal que escolheu e os cuidados de que ele vai precisar. Inclusive quando chegar à sua casa, garanta alguns itens essenciais como: a sua própria cama (na qual se possa recolher e sentir seguro), comedouro e bebedouro, brinquedos de borracha adaptados para roer, caixa de areia ou caixa de transporte. Promova um meio ambiente estimulante e familiarize-o gradualmente com o seu novo lar.

A curiosidade é uma característica muito comum dos animais — bem sabemos como eles adoram explorar tudo à sua volta. Logo, é fundamental garantir que o espaço onde vão viver é seguro para eles. Confirme sempre se é preciso colocar proteções nas janelas ou nas varandas e tirar do seu alcance objetos perigosos ou plantas que possam ser tóxicas para a sua saúde.

Por fim, deve agendar o quanto antes a primeira visita ao médico veterinário, para assegurar a vacinação e desparasitação inicial, fazer um check-up geral de saúde, receber dicas para a educação e socialização do animal de estimação, ter um aconselhamento detalhado sobre os alimentos mais adequados e as doses diárias recomendadas. Estas visitas devem ser regulares, com um periodicidade mínima de um ano enquanto adultos.

Caso tenha dúvidas ou questões, nada melhor do que consultar a plataforma online da Royal Canin, que disponibiliza várias informações úteis para cuidar do seu melhor amigo da melhor maneira possível.

Este artigo foi escrito em parceria com a Royal Canin.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT